quinta-feira, 15 de Outubro de 2015 10:33h

Seleção vence a Venezuela diante de um grande público em Fortaleza

Diante de quase 40 mil torcedores no Castelão, em Fortaleza, a Seleção Brasileira conquistou sua primeira vitória nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018

Nesta terça-feira (13), o time comandado pelo técnico Dunga venceu a Venezuela por 3 a 1, com dois gols de Willian e um de Ricardo Oliveira.
O próximo compromisso da Seleção será contra a Argentina, em Buenos Aires, no dia 13 de novembro. Depois, no dia 17, o adversário será o Peru, em Salvador.
Centroavante que se preza vive, e precisa marcar gols. Posição bem específica, própria de quem tem de se movimentar naquele espaço da área, na maioria das vezes congestionado pelos marcadores adversários, este jogador geralmente tem poucas oportunidades de finalizar. Mas quando elas aparecem, há que aproveitá-las.
Foi o que Ricardo Oliveira, artilheiro do Santos e da atual temporada no Brasil, fez na Arena Castelão, em Fortaleza, diante da Venezuela. Com uma vantagem: não é aquele centroavante do tipo que joga muito centralizado, quase fixo. Ricardo Oliveira consegue se movimentar pelos lados e assim também abrir espaços para os companheiros.
Dessa maneira, alternando a movimentação com presença na área, foi que Ricardo Oliveira entrou em cena para marcar o terceiro gol, o que pôs fim à tentativa de reação da Venezuela e decretou a vitória do Brasil. Um gol que demorou 10 anos para vir - seu último fora em 2005. “Entro em campo pensando em marcar. O gol sairia, tinha certeza, e estou muito feliz por ter ajudado a Seleção Brasileira a vencer”, disse.
Foram necessários 36 segundos para Willian entrar em ação. A jogada que resultou no seu primeiro gol, o que abriu o caminho para a vitória, foi resultado do planejamento tático com que a Seleção Brasileira entrou em campo determinada a fazer: a marcação com pressão.
Na saída de jogo da Venezuela, Luiz Gustavo deu o bote, roubou a bola, e entregou para Wilian. O jogador do Chelsea não perdeu tempo: dominou, entrou na área e chutou forte, com o goleiro desviando sem sucesso, para fazer 1 a 0.
O gol deu confiança a Willian e deixou-o mais solto em campo. Desta vez, sem ficar preso ao lado direito, Willian movimentou-se pelos lados do campo, sempre com inteligência, procurou igualmente os lances pelo meio, e ditou o ritmo com que o Brasil passou a dominar inteiramente a partida.
De outra jogada dele, quase saiu o segundo gol: fez lançamento perfeito para Filipe Luís, autor do cruzamento que encontrou Ricardo Oliveira presente na área, para fazer a conclusão, mas defendida pelo goleiro.
Tinha mais: o segundo gol. Depois de troca de passes, Filipe Luís conseguiu boa jogada individual, passou por dois adversários, e fez outro cruzamento precioso. Oscar vinha ao encontro para a conclusão, mas, esperto, vendo o zagueiro chegar, deixou a bola passar, para Willian, que chutou forte: 2 a 0.
Ao fim do jogo, Willian mostrava a felicidade pelo seu desempenho, pelos dois gols, mas, sobretudo, pela boa atuação da Seleção Brasileira. “A gente vem trabalhando forte para isso, para vencer e jogar bem. Só que nem sempre as coisas acontecem da maneira que se tenta. Hoje, sim, a Seleção Brasileira teve uma grande atuação”, falou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.