terça-feira, 12 de Maio de 2015 10:21h Atualizado em 12 de Maio de 2015 às 10:31h. Luciano Eurides

Sem Futuro é o campeão do Torneio do Quintino

Depois de muitas rodadas adiadas, uma fase de classificação conturbada e de muitas reclamações, os classificados para a final enfim se enfrentaram na última partida da competição do bairro Quintino

Um público que começou bom, mas aos poucos foi deixando o campo. Assim, poucos testemunharam a vitória nos pênaltis da equipe do Sem Futuro do bairro Quintino. Já o Colorado pagou pelos próprios erros.
A grande final jogada na manhã do último domingo levou a campo duas equipes de grande potencial. Qualidade técnica apurada e tudo para se ter um grande jogo de futebol. O Sem Futuro, dos jovens como goleiro Mateus e o zagueiro Marquinhos. Do experiente Ricardo Armando no meio campo e dos artilheiros da competição: Lucas Nascimento e Alexandre Buchecha. Um Colorado de experiência com consagrado Helvécio no gol, Fernandão Biquinho e Betinho. Dos jovens Guilherme Rosquinha, Lucas Madruga e Caique. Do treinador, folclórico Cuié.
Depois que os ingredientes da final foram colocados em campo, a bola rolou e foi 15 minutos sem o Colorado ultrapassar o meio campo. O time bem defensivamente também não deixava Helvécio correr riscos. Já na metade da primeira etapa equilibrou-se a partida. Houve chances, não muito claras, de ambos os lados. A preocupação ainda era nos setores de defesa. Na segunda etapa, o Sem Futuro veio para cima de vez, estabeleceu pressão. O Colorado colocou Mateus Batata na direita, ele é zagueiro e marcou muito bem as investidas de Alexandre Buchecha. O volante Rosquinha ficou liberado para o ataque, isso obrigou Lucas Nascimento a jogar quase entre os zagueiros. Ainda Valdeci entrou na esquerda e as chances reais de gol surgiram.
O Colorado por quatro vezes esteve à frente do marcador. Caique perdeu duas oportunidades incríveis, uma livre chutou para fora e levou o treinador ao desespero. A vontade era maior que a qualidade. Pablo chegou atrasado quando a bola passou por extensão da pequena área e o mesmo se repetiu com Betinho, ele ainda tentou um carrinho desesperado. O placar sem gols premiou a falta de pontaria da equipe da Vila Belo Horizonte.
A decisão foi para as cobranças de tiro livre da marca do pênalti. Mateus defendia o gol do Sem Futuro e Helvécio do Colorado. O goleiro da equipe da casa foi melhor, defendeu a cobrança de Mateus Batata, a segunda para o Colorado, e deu o título para o Sem Futuro. Ainda pelo Colorado assinalaram Lucas Soneira, Valdeci, Biquinho e Pablo Japão. Já para a equipe do Sem Futuro converteram Ricardo, Alexandre Buchecha, Mateus, Lucas Nascimento e Helder fechou o marcador e comandou a comemoração.
Ainda com o campo quase deserto, foram premiadas as equipes participantes da final com Sem Futuro com o troféu de campeão e R$ 500. O Colorado, vice-campeão, com troféu e R$ 300. O atleta veterano Helvécio, goleiro menos vazado de toda a competição. Os artilheiros Lucas Nascimento e Alexandre Buchecha, cada um com cinco gols.
A competição, jogada em um dos campos com maior espaço para os admiradores do bom futebol acompanharem os jogos, teve a infeliz participação de uma meia dúzia de pessoas que insistiram em atirar pequenos fogos de artifício dentro do campo. Com tanto espaço jogavam exatamente onde era reservado para os jogadores. Isso até acontece em vários campos, mas sempre há alguém para pedir que isso não seja feito. No Quintino as bombinhas foram jogadas durante todo o tempo, sem nenhum constrangimento ou organizador para convidá-los a brincar um pouco mais distante. O fato pode não explicar a pouca presença de torcedores, mas certamente contribuiu.

 

 

 

Créditos: Luciano Eurides

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.