quinta-feira, 21 de Junho de 2012 13:08h Atualizado em 21 de Junho de 2012 às 13:11h. Gazeta do Oeste

Série D começa nesse domingo

Para o presidente do STJD, Rubens Approbato, a competição poderá iniciar no próximo fim de semana. A entidade prometeu punir os clubes que insistem na Justiça comum.

Guarani, Nacional e todos os clubes envolvidos no Campeonato Brasileiro da série D comemoram a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) que revogou, na tarde de ontem a suspensão da Série D do Campeonato Brasileiro, que havia determinado no último dia 23 de maio. Para o presidente do STJD, Rubens Approbato, a competição poderá iniciar no próximo fim de semana. A entidade prometeu punir os clubes que insistem na Justiça comum.

 


Approbato afirmou, a órgão de imprensa no Rio de Janeiro que as ações judiciais de clubes que ainda tentam vagas na Série C em nada interferem na divisão inferior e, por isso, não havia motivo para manter a suspensão. Ainda informou que já comunicou a CBF sobre a decisão. O magistrado tomou a decisão com base em pedido do Santo André, o autor do mandado de garantia que suspendeu os dois torneios em maio, e também com manifestações oficiais da Procuradoria-Geral do STJD e da CBF. A Série D, inicialmente, deveria ter começado no dia 27 de maio. “Em resumo, tendo em vista que não há mais impedimento para Série D, eu liberei a realização desta competição apenas. Desde já, imediatamente. Em relação à Série C, ainda não é possível autorizar a mesma coisa porque há ações na Justiça que podem interferir no torneio. Nenhuma das medidas judiciais ainda existentes altera a Série D. Eu já comuniquei a CBF. Se ela tiver condições de começar já neste fim de semana, não há problema”, explicou Approbato.

 

A ação judicial que ainda trava o início da Série C é movida pelo Treze da Paraíba que, ao contrário de Araguaína e Rio Branco, não concordou em encerrar o litígio. O Brasil de Pelotas também tenta vaga na competição mas, no momento, não há nenhuma medida que obrigue a CBF a incluir o clube na Série C, como existe em relação ao Treze. O clube gaúcho informou que não pretende paralisar a competição se ela for iniciada antes que ele consiga reaver o direito de disputar a Série C, mas persistirá com o processo na Justiça comum e, se tiver comprovado o seu direito, deverá pedir ressarcimento financeiro à CBF. A entidade, por sua vez, comunicou através do presidente José Maria Marín que tomará todas as medidas para punir os clubes que não acataram as decisões da Justiça desportiva.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.