segunda-feira, 18 de Novembro de 2013 06:34h

Silas agradece torcida e destaca força do grupo

Técnico elogia a participação dos torcedores e ressalta a determinação dos jogadores

Após a goleada por 3 a 0 sobre o Atlético-GO, neste sábado à tarde, 16/11, resultado que manteve vivo o sonho de acesso à Série A do Brasileirão, o técnico Silas analisou o desempenho do time em campo. Para o treinador, a determinação dos jogadores, juntamente com o apoio dos torcedores que compareceram em grande número na Arena Independência, foram fundamentais para o resultado. O técnico revelou que Nikão está jogando no sacrifício e falou de sua importância para o time, não entendendo a manifestação contrária de alguns torcedores em alguns lances do meia que não deram certo.

 

O treinador elogiou as atuações de Marcão e Kleber, dois jogadores que deram a volta por cima, e ressaltou a força do grupo. O técnico mantém sua esperança na classificação e diz que é preciso fazer a parte que cabe ao América. Ou seja: vencer os dois jogos que ainda lhe restam.

 

“Gostei da atuação da equipe não somente pelo resultado. Mas porque estávamos com um pouco de dificuldade de jogar no independência e pegamos um time bom, que ganhou do Avaí, do Sport e empatou com o Paraná na última bola do jogo. Um time traiçoeiro e interessante, mas conseguimos dominar o jogo todo. Mas quero, mais uma vez, agradecer a torcida que compareceu e nos incentivou, porque está acompanhando o time e vendo a luta da gente pelo acesso”.

 

FORÇA DO GRUPO

 

“Quero destacar também a força do grupo. Voltou o César Lucena (no lugar de Jaílton, suspenso), o Kleber, que para mim foi um dos melhores em campo. O Alessandro voltou a fazer gol, o Elsinho está confirmando que deve ser um dos três melhores laterais direito da Série B. Então, tenho que destacar a solidez do time”.

 

MARCÃO

 

“O Marcão fez gol em Natal e outro aqui. Falei para vocês, lá no CT, que ele havia perdido o gol em São Caetano, mas não tinha jogado mal. Então, apareceu novamente o time forte que somos e conseguimos ficar vivos na competição. Qualquer outro resultado aqui já estaríamos pensando em 2014”.

 

KLEBER

 

“Conversei com o Kleber quando cheguei aqui. Ele falou que estava jogando mal, mas sendo mantido no time e isso era uma opção do treinador anterior. Disse para ele que não queria abrir mão dele, porque é excelente jogador. Ele estava com problema com esposa, coisa que a gente não externa, mas que afeta no rendimento do atleta. Ele foi liberado para resolver o problema em casa, mas não está de todo resolvido porque é problema sério de saúde e só o tempo vai dizer. Então, acertamos que iríamos colocá-lo pouco a pouco, ele aceitou e ficou treinando muito bem e agora está sendo premiado. Fez gol no jogo passado e hoje uma excelente partida”.

CONFIANÇA

 

“A situação do Marcão era a mesma do Fábio Júnior, do Alessandro. Jogador de ataque precisa de confiança para fazer gols, confiança do treinador. Precisa estar bem fisicamente e isso não estava acontecendo. Infelizmente isso veio acontecer agora, no final. O Marcão fez um golaço, o Alessandro entrou e marcou. Estamos felizes e tristes, porque só está acontecendo agora”.

ESPERANÇA

 

“É difícil administrar a situação. Está chegando o final do ano e os empresários dos jogadores aparecem mesmo e ao invés de ajudar atrapalham, porque enchem a cabeça do jogador. Jogadores que estão tendo rendimento acima da média têm também os cubes que vêm em cima. Mas temos que ir jogo a jogo. A gente conseguiu duas vitórias seguidas no campeonato, mas ainda não conseguimos três e agora temos que conseguir. Temos que fazer a nossa parte e, se Chefe lá de cima quiser nos dar a nossa passagem para Série A, beleza! Mas não podemos deixar de fazer a nossa parte".

 

NIKÃO

 

“Não sei o que aconteceu lá. Deve ter acontecido algum fato isolado, porque foi do lado da torcida. E quando o Nikão saiu eu pedi para o torcedor aplaudir. Ele está jogando no sacrifício. Vocês viram o Nikão treinando lá (CT Lanna Drumond)? Não viram, porque ele está no sacrifício. É que o torcedor não sabe o que ele está fazendo para ajudar a gente. Mas quando pedimos o torcedor aplaudiu. O torcedor reconheceu, gritou o nome dele. O torcedor está vindo, muita gente e isso é mais legal ainda. Mas as decisões que o treinador toma são com conhecimento da semana, do que o jogador pode oferecer para o time. A força que ele (Nikão) tem quando está em campo e o que ele pode atrapalhar o adversário, nos ajuda muito. O Nikão segura dois lá na frente. Mas ele não está 100%”.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.