terça-feira, 21 de Agosto de 2012 15:07h Luciano Eurides

Situações opostas em véspera de clássico

A semana do clássico mineiro será de situações completamente opostas. O Atlético, melhor equipe do turno, líder isolado com uma partida a menos e com uma campanha invejável.

A semana do clássico mineiro será de situações completamente opostas. O Atlético, melhor equipe do turno, líder isolado com uma partida a menos e com uma campanha invejável. O Cruzeiro, goleado no Couto Pereira diante do Coritiba. A venda de ingressos para Cruzeiro x Atlético será defina em uma reunião hoje, na sede da Federação Mineira de Futebol.

 


Quem vai ter mais trabalho durante a semana será o treinador Celso Roth. A falta de reação da equipe no estádio Couto Pereira foi o que mais destacou, negativamente, o treinador cruzeirense. “Realmente nós fomos muito mal. Não tem como explicar uma derrota dessas, da maneira que foi. Chega a ser realmente vergonhoso, a gente vir aqui, e, nesse momento, estamos mesmo ressuscitando times, não é? A Ponte Preta só ganhou da gente, no Independência. O Coritiba fez 4 a 0, com superioridade, e nós não tivemos reação alguma. A não ser os primeiros 16 ou 17 minutos, antes do gol. Tomamos o gol e desequilibrou completamente, uma insegurança muito grande por parte dos jogadores”, e acrescentou. “Realmente é vergonhoso, a gente está se sentindo assim. Não tem como explicar para o Torcedor. O time jogou mal e não reagiu, isso é o pior de tudo. Não reagiu e nem esboçou nenhum tipo de reação durante o jogo. É durante o jogo que a gente tem que fazer as coisas, não é depois. Temos que repensar algumas coisas. Colocamos alguns jogadores que não estavam jogando, e infelizmente não foram bem. Vamos nos arrumar para essa semana, e ainda bem que temos essa semana, para o clássico no outro final de semana”.

 


Por outro lado o técnico Cuca é só alegria. Na entrevista coletiva ele ressaltou a superação dos jogadores na vitória por 3 a 2 sobre o Botafogo. O resultado manteve o Galo na liderança isolada do Campeonato Brasileiro, com 42 pontos e um jogo a menos. “Foi um grande jogo, emocionante até o final. Hoje, foi na superação, na entrega, na luta e na qualidade. Existem vitórias que a gente tem que comemorar mesmo. Foi uma vitória do Atlético que o Botafogo valorizou bastante, analisou e acrescentou. “A gente teve dificuldades no primeiro tempo, tivemos que mudar taticamente a equipe e equilibramos o jogo. Passamos a criar oportunidades, perdemos algumas chances, mas criamos. Na segunda etapa, a gente corrigiu, a equipe se portou bem melhor e tinha o jogo controlado até o lance do pênalti, onde vacilamos e o adversário teve mérito para empatar. Aí, veio a superação. Na qualidade da definição, sabendo que o Jeferson estava fechando o gol nas bolas no chão, o Berola deu uma cavadinha e acabou fazendo o gol da vitória”, completou Cuca.

 

 

NETO BEROLA VOLTOU

 


Foram mais de cem dias longe dos gramados, mas o retorno foi, certamente, melhor do que ele imaginava. Neto Berola entrou em campo na segunda metade da etapa final, no lugar de Escudero, e marcou o gol da vitória. No lance do gol, Berola recebeu belo passe de calcanhar de Carlos César e deu um toque de categoria por cima do goleiro Jeferson. “Fico muito feliz por ter feito o gol da vitória logo na minha volta e tenho que agradecer muito aos meus companheiros e à torcida. Agora, é continuar trabalhando para ajudar a equipe”, disse o atacante.

 


RAPOSA DESFALCADA

 


O atacante Wellington Paulista e o meia Souza receberam o terceiro cartão amarelo, com isso, os dois terão que cumprir suspensão e não poderão enfrentar o Atlético no próximo domingo, às 16h, no estádio Independência, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, a última do turno. Paulista e Souza se juntam ao volante Charles, que recebeu o terceiro cartão amarelo e o vermelho no empate em 1 a 1 com o Fluminense, na última quarta-feira, no Independência. Charles cumpriu, neste domingo, contra o Coritiba, o primeiro jogo de suspensão. O segundo será contra o Galo.

 

 

INGRESSOS

 


Membros da Federação Mineira de Futebol, Polícia Militar, Ministério Público, Corpo de Bombeiros e diretorias de Cruzeiro e Atlético-MG já começaram a discutir como será definida presença das torcidas para o clássico mineiro do próximo dia 26, no Estádio Independência, em Belo Horizonte, em jogo válido pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. fechamento do Mineirão para obras à Copa de 2014, os clássicos de Minas Gerais foram disputados no interior do Estado, a maioria das vezes, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, sempre com torcida única.

 


Atendência é que o clássico mineiro permaneça, por questões de segurança, com torcida única. O principal receio da Polícia Militar é quanto ao deslocamento dos torcedores ao estádio. Diferentemente do Mineirão, que fica em região mais distante do centro de Belo Horizonte e é servido por duas avenidas largas, o Independência está localizado em região residencial e com apenas uma via principal de acesso.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.