quinta-feira, 28 de Maio de 2015 12:13h Atualizado em 28 de Maio de 2015 às 12:15h. Luciano Eurides

Sub-17 do Guarani entra na semana decisiva para os atletas

Jogar a Taça BH de Futebol, estar no mesmo campo que atletas das maiores forças nacionais, ser visto e quem sabe desejado por um clube

Este sonho é de todo candidato a uma das 25 vagas que o Guarani tem direito. Estar entre os inscritos é a meta dos 47 que estiveram na primeira tarde de trabalho no Farião.
O primeiro dia foi um pouco menos intenso, mas possível ver as deficiências e qualidades, uma maneira de dar continuidade e futuramente quem sabe uma reavaliação das metodologias aplicadas nas escolas de futebol da cidade e região. Os trabalhos envolvendo a parte técnica estão abaixo do esperado. Visível e notória a falta de um trabalho realizado na formação inicial do atleta. Com a bola rolando melhorou muito, mas ainda é apenas o começo de uma longa jornada.
O mais importante nesse momento, para a equipe de trabalho, é avaliar os jogadores e decidir quem serão os 25 mais preparados para encarar o desafio. Para os jogadores é estar dentro do grupo. Fisicamente é feito um trabalho gradativo, pois o tempo é curto e certamente os avanços também. Essa situação implica em estar mais bem preparado, e esse é o desafio para os atletas, provar aptidão para defender o Bugre Divinopolitano.
Entre os atletas que se apresentam para o desafio está Guilherme Ferreira Oliveira, nascido em Dores do Indaiá em 2 de dezembro de 1999. Ele tem 1,91 m de altura e pesa 79 kg. Um vasto currículo para um atleta tão jovem. Ele começou no Dorense, passou pelo Craque do Futuro, Cruzeiro de Luz, Flamengo de Divinópolis, Vila Nova (Pampulha), Minas (Nova Era), Marcílio Dias e Avaí.
Ele chamou a atenção de todos logo no primeiro dia, quando apresentado os trabalhos anteriores cresceu ainda mais a admiração por ele. Não é um acaso ele estar em Divinópolis, com a reformulação do Avaí ele foi dispensado, sorte para Divinópolis e quem sabe ainda mais confiança para o jogador. Afinal, no Guarani ele está entre amigos. “A expectativa é fazer bons treinos, continuar no grupo, participar da Taça BH é um sonho para todos que querem ser um jogador de futebol, uma grande vitrine para mostrar o futebol. Eu jogava em Nova Era e participei de uma peneirada no Marcílio Dias, onde fiz um amistoso contra o Avaí. Acertei minha ida e lá fiquei por oito meses, voltei após a reformulação do elenco, fui dispensado e pode ser uma experiência de estar junto à família”, falou jogador, que conhece muito bem o elenco e a cidade, pois atuou no Flamengo do Mendes Mourão. Essa proximidade com Dores do Indaiá pode ser uma forma dele se mostrar mais uma vez ao futebol do Centro-Oeste Mineiro.
A programação de trabalhos prevê treinos diários, sempre no período da tarde. Alguns jogadores farão trabalhos de reforço muscular na academia do Clube.  

 

Créditos: Luciano Eurides

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.