quarta-feira, 7 de Dezembro de 2011 15:46h Atualizado em 8 de Dezembro de 2011 às 09:10h. Luciano Eurides

Taça Minas Gerais ajudou o Guarani a consolidar as revelações

O Guarani disputou pela primeira vez a Taça Minas Gerais de Futebol, a competição serviu de laboratório para o time a jogar o Campeonato 2012. Um dos exemplos da importância da competição é o volante Michel Elói. Presente no profissional do Bugre, essa foi a primeira grande oportunidade do atleta.
Michel Elói é divinopolitano, esteve nas categorias de base do Guarani e do Divinópolis Esporte Clube (DEC). Todo trabalho e uma vida dedicada ao futebol acabou rendendo a posição de titular. O atleta fez uma avaliação positiva da participação dele. “No Campeonato Mineiro fui titular em apenas um jogo, estava entrando nos jogos, nessa Taça Minas Gerais ele me deu a oportunidade, consegui aproveitar e ser titular”, disse ele que foi um dos melhores em campo contra o Boa, pela primeira fase e o melhor no jogo da semifinal, na cidade de Varginha. Além de ter conquistado a confiança de todos no jogo frente o Nacional, na cidade de Nova Serrana.


O trabalho com um grupo profissional já havia sido feito no inicio do ano, mas a chegada de Gian Rodrigues foi fundamental para o atleta ter a real oportunidade. “Com certeza, um excelente reinador  trabalha muito bem taticamente e foi possível aprender muito com ele”, falou Michel Elói.
O atleta tem contrato até o final de 2012, e já está voltado para a competição estatual e acredita na base montada para enfim o Bugre fazer um trabalho diferente no ano do centenário da cidade. “Se dermos uma sequencia nesse trabalho, no mineiro pode vir coisa boa pela frente, não só para mim, mas para o Guarani também”, e comentou o momento, já que ano passado estavam iniciando o trabalho, hoje eles já estão de férias, depois de uma missão concluída. “Umas férias agora é bem vinda, mas existe a continuidade, a equipe já está entrosada”, garantiu.
Quando na base ele era demasiadamente cobrado em questão de posicionamento. Puxão de orelha vinha do treinador ou mesmo do pai, o ex-jogador Douglas. “Tenho de ir apreendendo e amadureci um pouco. Tenho mais experiência e quero impor isso no mineiro. O Cristian cobrava muito, o Gian Rodrigues cobra ainda. Hoje aprendi a jogar com ele”, considerou.


O treinador Gian Rodrigues enxergou uma evolução nos garotos e acredita ter contribuído para a carreira deles. “Esse ano ele foi titular quase o campeonato inteiro. O futebol, para se ter um futuro, exige um pouquinho mais, passa pela determinação e dedicação. Resistir um pouco mais e é uma coisa que vai do coração deles”, declarou.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.