sexta-feira, 4 de Novembro de 2011 14:59h Luciano Eurides

Técnico cruzeirense quer time mortal contra o Flamengo

Em busca de vitória no domingo, o técnico Vagner Mancini disse que o Cruzeiro não pode enfrentar o Flamengo, às 17h, no Engenhão, no Rio de Janeiro-RJ, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, pensando apenas em se defender. Para o treinador, o clube tem por característica histórica o fato de ter equipes que se destacam pela ofensividade, então, mesmo ciente de que vai enfrentar um adversário que briga pelo título nacional e que terá o apoio de sua torcida, o Cruzeiro irá atacar.


Mancini espera uma postura corajosa dos cruzeirenses. “O que eu espero é que o time entre em campo para encarar o Flamengo, que seja um time que tenha muita coragem. Neste momento, é muito importante que você não jogue só se defendendo. O Cruzeiro tem por raízes ser uma equipe que joga futebol, que sai de trás, que envolve também. No jogo diante do Botafogo eu vi uma equipe que se colocou bem em campo, que marcou bem o Botafogo, que teve posse de bola, que podia ter saído na frente várias vezes. Então, essa maneira de jogar deve ser adotada também no domingo, diante do Flamengo, mesmo sendo outra equipe, com outro ambiente. Devemos ter mais gente no Engenhão do que no último jogo, o que de certa forma faz com que o jogo ganhe em termos de atmosfera, uma atmosfera de uma equipe que quer ser campeã contra uma equipe que quer sair de baixo. Então, nós temos que pegar esse gancho e fazer com que todos os detalhes sejam favoráveis”, disse.


Questionado sobre a qualidade do time do Flamengo, principalmente de jogadores como Ronaldinho Gaúcho, Thiago Neves e Deivid, Vágner Mancini destacou que são sim atletas perigosos,mas que o adversário também deve se preocupar com os jogadores do Cruzeiro. Assim, o treinador lembra que o Flamengo é um adversário que joga e deixa jogar, e que a Raposa tem que saber explorar bem isso para sair do Engenhão com a vitória. “Não tem como você jogar contra o Flamengo e dar liberdade aos jogadores citados (Ronaldinho Gaúcho, Thiago Neves e Deivid), porque são atletas acima da média, como nós também temos. Tenho certeza de que o Flamengo também não vai deixar o Montillo jogar, o Roger, e outros atletas nossos. O que é receita? É você tentar neutralizar as armas do Flamengo, que são esses atletas que têm uma maneira de jogar, com uma qualidade acima da média, e tentar, logicamente, usufruir de certos espaços que nós teremos em campo. Todas as equipes têm os pontos fortes e os fracos. O Flamengo é uma equipe que tem deixado jogar, foi assim nos últimos jogos que eu vi, então, nesse sentido, temos que armar a equipe para ser mortal no domingo”.
Quando lembrado que o Cruzeiro conseguiu vitórias importantes fora de casa neste Campeonato Brasileiro, contra Vasco (3 a 0 em São Januário) e Corinthians (1 a 0 no Pacaembu, tirando a invencibilidade do time paulista, que era líder do Brasileirão), e se é possível repetir um resultado desses, Mancini acredita sim nessa possibilidade. “Dá para repetir sim. Nós vamos em busca de uma vitória, não dá para falar outra coisa. A gente respeita o Flamengo, sabe do momento que eles vivem, mas o Cruzeiro já está na hora de sair ganhando jogos fora de casa também. Nós tivemos um bom desempenho diante do Botafogo, faltou alguma coisa, que eu espero que neste domingo não falta, mas que sobre. É chegado o momento de a gente sair vitorioso de um jogo, mesmo jogando diante de uma equipe que está lá em cima, que quer chegar ao título”.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.