quarta-feira, 7 de Agosto de 2013 06:37h

Técnicos Brasileiros não tem Mercado na Europa

Vários são os fatores os quais contribuem para que nossos técnicos de futebol, com raríssimas exceções, consigam entrar no mercado europeu Aliás no mercado asiático, principalmente Japão, Arábia Saudita, Catar, entre outros, nossos “professores”, consegue

Vários são os fatores os quais contribuem para que nossos técnicos de futebol, com raríssimas exceções, consigam entrar no mercado europeu Aliás no mercado asiático, principalmente Japão, Arábia Saudita, Catar, entre outros, nossos “professores”, conseguem contratos milionários.
     - Porque não na Europa?
    - A cultura do futebol brasileiro em que, se você perder quatro ou cinco jogos seguidos, estará no “olho da rua”, será demitido. Fator que não permite aos nossos “professores”, realizarem um trabalho a longo prazo .Isso deixa os clubes europeus com os “dois pés atrás” quando lhes indicam um brasileiro para ocupar o cargo, muito concorrido na Europa.
    - Outro fator determinante é a falta de formação adequada como também a consequente ausência de reciclagem dos nossos técnicos atuais, segundo Paulo Autuori hoje técnico do São Paulo Futebol Clube.
    - Temos também é claro, a desunião da classe onde os “lobistas” ou até mesmo o próprio candidato ao cargo, tem um comportamento antiético ao ligar ou agendar almoços e reuniões com os dirigentes dos clubes, quando percebem que “a batata do técnico começa a asar’, como dizem na linguagem  do boleiro ,”fulano está prestigiado”.
    - Acho que a Confederação Brasileira de Futebol, juntamente com os clubes deveriam exigir que os técnicos de futebol para trabalharem aqui no Brasil, teriam de ser formados em Academias de Futebol, que oferecessem cursos a nível de graduação em futebol, ou no mínimo graduados em educação física com especialização em futebol. Fato que ocorre no Continente Europeu. Isso elevaria e muito o conhecimento dos nossos técnicos, principalmente nas categorias de base, onde algumas pessoas despreparadas se dizem “Professores de Escolas de Futebol”.
    - Até ainda vemos ex atletas profissionais de futebol iniciarem a carreira de técnicos sem o mínimo de preparo didático pedagógico para formarem futuros atletas nas categorias de base, são jovens adolescentes, os quais precisam ser formados também como homens os quais poderão seguir outras carreiras profissionais fora do mundo extremamente desumano e competitivo da bola.
    - Posso citar os poucos que conseguiram emprego no velho continente, sem muito sucesso, entre eles Vanderlei Luxemburgo e Luiz Felipe Scolari.
   - Espero ter conseguido sintetizar os motivos pelos quais o mercado europeu não oportuniza aos técnicos brasileiros contratos de trabalho.
   - Um abraço pra o meu amigo Marcelo da ENSAP  TEXTIL, atleticano e conhecer de futebol.
Outro para o amigão Romulo Cunha, da loja Dr.SONO, sofrendo com a ressaca atleticana.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.