sábado, 22 de Setembro de 2012 08:48h Gazeta do Oeste

Tinga comemora um recorde pessoal na carreira

Após quatro temporadas no Borussia Dortmund, da Alemanha, o meia não havia conseguido emplacar uma sequência de mais de cinco partidas seguidas como titular, devido à questões físicas.

Desde que voltou da Europa, em 2010, após quatro temporadas no Borussia Dortmund, da Alemanha, o meia não havia conseguido emplacar uma sequência de mais de cinco partidas seguidas como titular, devido à questões físicas. No Cruzeiro, Tinga atingiu, na partida contra o Vasco, no último domingo, em Varginha, seu sétimo jogo consecutivo, ainda mais com o fato de ter realizado essa sequência justamente nas três semanas em que o Campeonato Brasileiro teve rodadas nos finais de semana e nos meios de semana, com jogos a cada três dias. Tinga foi titular contra Atlético-MG, Atlético-GO, Náutico-PE, Botafogo-RJ, Sport-PE, Figueirense-SC e Vasco.

 


Em uma conversa com o Site Oficial do Cruzeiro, Tinga atribuiu o feito ao trabalho individualizado que é desenvolvido pelo staff do Cruzeiro com cada atleta, que envolve a Comissão Técnica e os departamentos de Preparação Física, Fisiologia, Fisioterapia, Médico e de Nutrição. “Na verdade, desde que voltei da Europa, eu sempre tive um problema de não conseguir fazer mais do que cinco jogos na sequência. E, Graças a Deus, depois da minha chegada ao Cruzeiro, consegui fazer sete jogos direto, com partidas às quartas e domingos. Então, estou conseguindo praticamente bater um recorde meu. E fico muito feliz, porque sei que isso foi graças ao trabalho que é feito no Cruzeiro, à estrutura que o Cruzeiro tem, de ver todos os detalhes, o CK (proteína que controla o desgaste muscular), de medir quantos quilômetros a gente corre, ver o que a gente pode recuperar. Acredito que isso fez com que eu conseguisse essa sequência de jogos às quartas e domingos. Sei que isso foi possível pelos profissionais que o Cruzeiro tem, o Flávio (de Oliveira), na preparação física, o (Eduardo) Pimenta, fisiologista, o pessoal da Fisioterapia, enfim, todo o trabalho que o Cruzeiro tem, de estrutura, do trabalho que é feito com o jogador”, disse.

 

Tinga ressaltou o controle das atividades e a análise do rendimento dos jogadores nos treinamentos e jogos, além do cuidado que os profissionais do Clube têm, e falou da importância desse trabalho no aproveitamento dos jogadores. Para ele, no Brasil, isso é inédito. “A estrutura que o Cruzeiro tem para trabalhar com o jogador é diferente. Eu posso falar, porque trabalhei em mais de cinco clubes, todos clubes grandes, e, em nenhum deles, eu vi um acompanhamento tão próximo com o jogador, tão detalhista como é feito aqui no Cruzeiro. Então, às vezes a gente acha que essas coisas não têm nada a ver, no futebol, mas posso dizer, cem por cento, que faz muita diferença quando você tem um trabalho em equipe todo detalhado. Nunca trabalhei em um clube em que você treina todos os dias com GPS (aparelho de monitoramento das atividades físicas e técnicas). Em qualquer treino todo mundo fica sabendo quantos quilômetros correu. São detalhes que, dentro do futebol, e é lógico que isso não vai trazer três pontos ou não, mas acredito que isso é uma das coisas que podem melhorar o rendimento dos jogadores, prolongar a carreira e permitir que o atleta joguem mais tempo em alto nível, que é o que hoje o futebol necessita, de físico e de força”.

 

Perguntado pelo Site Oficial do Cruzeiro se todo esse trabalho planejado e detalhado estava diretamente ligado à redução do número de lesões musculares no elenco, Tinga voltou a destacar a evolução que vê no Cruzeiro com relação à preocupação dos profissional do Clube com os atletas.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.