quinta-feira, 5 de Janeiro de 2012 11:44h Luciano Eurides

Toca da Raposa volta ao ritmo normal


O fim de férias dos atletas profissionais do Cruzeiro e a Toca da Raposa II teve uma tarde atípica, a movimentação concentrou-se no aeroporto, porta de entrada dos reforços da Raposa e do América. O mais cobiçado, logo em sua primeira entrevista após desembarcar no Aeroporto de Confins, o atacante Walter foi bastante sincero. Depois de dizer que estava muito satisfeito de retornar ao Brasil, ele não escondeu que seu desejo de regressar à Europa ao fim de 2012.
Segundo o centroavante, uma de suas principais metas é a de se destacar no clube estrelado para tentar outras temporadas de sucesso na Europa. “Sempre é bom voltar para o Brasil, pois a minha família queria muito também. Tomara que seja bom para mim e para o Cruzeiro, para que todo mundo fique bem. Quero fazer um bom campeonato aqui para, se Deus quiser, voltar para a Europa de novo, para ganhar meu espaço. Mas, primeiramente é pensar no Cruzeiro, fazer um bom campeonato, para dar tudo certo”.
O jogador também falou sobre sua passagem irregular pelo Porto, devido a problemas pessoais. “Foi questão de família. Minha filha estava passando um momento difícil também. A minha vida foi um pouco difícil, mas agora é pensar no Cruzeiro. Vai mudar tudo. É um time novo, uma vida nova e um ano novo também. Que o Cruzeiro e o Walter ganhem muitos títulos”, desejou.
Walter, que chega à Toca da Raposa por empréstimo, disse que seu futebol é o mesmo que o fez ganhar destaque no Internacional. “Não preciso mudar nada, pois sempre tenho que trabalhar mais. O Walter é aquele Sub-20, aquele do Inter, aquele do Porto. Espero fazer um bom campeonato, um bom ano no Cruzeiro. Que ele seja de muita alegria para mim, para que eu saia do Cruzeiro”.
Uma das primeiras tarefas do goleador em Belo Horizonte será a de conhecer os companheiros de elenco. “Não, ainda não conheço (o elenco) não. Conheço poucos jogadores. Conheço o Rafael (goleiro), que jogou comigo na Sub-20 (Seleção). Acho que, assim de vista, é só ele”.
Por fim, Walter mandou um recado à torcida celeste. “Podem esperar um jogador sempre brigando, um lutador, um trombador, e o mais importante: fazer os gols que a torcida está precisando, com a ajuda dos meus colegas”.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.