quinta-feira, 11 de Agosto de 2011 11:30h Atualizado em 11 de Agosto de 2011 às 11:33h. Sarah Rodrigues

Torcidas disputam liderança na venda de camisas

Vendedores divergem sobre o assunto

Em Minas Gerais, as torcidas do Atlético Mineiro e do Cruzeiro são as maiores. Qual torcida é maior sempre foi uma discussão acirrada. Na venda de camisas dos times, os vendedores também têm opiniões contrárias. Os preços de vendas variam de produto a produto, as réplicas são vendidas em torno de R$ 20,00, já as oficiais podem chegar a R$ 180,00.


O vendedor ambulante de camisas Ney dos Santos conta que a camisa mais vendida é a do Atlético Mineiro. “Porque atleticano é mais fanático, gosta mais de se mostrar”. Segundo ele, o novo uniforme é o mais procurado e que nos dias de jogos chega a vender até 20 camisas.
Em Divinópolis, de acordo com o vendedor o vice-campeão de vendas é o Cruzeiro e depois o Flamengo. “ A camisa do Flamengo é bem vendida, tem muito flamenguista por aí, depois vem a camisa do Corinthians”, revelou o vendedor.


De acordo com Ney, os uniformes mais vendidos são dos craques, o Fábio goleiro do Cruzeiro, o Liédson do Corinthians, o Neymar dos Santos entre outros.


O vendedor que viaja pelas cidades explicou que o preço das camisas, fabricadas em Divinópolis é de R$ 20,00. Ele brinca que nas cidades dos ‘chorões’ Santo Antônio do Monte, Moema, Luz e outras o preço sobe. “Aumento o preço para R$ 25, 00 aí eles choram até eu baixar para vinte, fazer o que né? Eles choram muito”, brincou o vendedor.


O proprietário de uma loja de vendas especializada em artigos esportivos, Dirceu José dos Santos Junior, discorda do ambulante. Atleticano roxo, o vendedor acredita que a camisa mais vendida é a do Cruzeiro. “A cada dez camisas, é uma média de 6 a sete do Cruzeiro é certeza, tem treze anos que trabalho com vendas”.


Sobre a diferenciação nos preços das camisas, o vendedor avalia que os públicos que compram as réplicas e as oficiais são divergentes. “Os preços variam entre 179 a 190 reais , porque a gente procura vender sempre no mesmo valor da loja dos times, ou do Atlético, ou do Cruzeiro e dividimos em mais vezes”. Ele avaliou que a qualidade do material também é diferencial. “São clientes diferenciados, a pessoa que compra uma camisa pirata, nunca vai comprar uma camisa original, a não ser que ela ganhe. E a pessoa que só compra original, nem olha para a camisa pirata. São públicos bem diferenciados. Além da qualidade, do material, do conforto”, frisou.


Sobre os produtos mais vendidos, ele acredita que por sua empresa ser especializada são as chuteiras, mas os uniformes são bem vendidos. “Nós somos especializados, em chuteiras profissionais então a gente vende muita chuteira profissional que é a mesma que o jogador usa. Hoje é o nosso carro chefe, mas camisa de times sempre vendeu bem”.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.