sexta-feira, 12 de Fevereiro de 2016 08:56h Luciano Eurides

Torneio de São José dos Salgados próximo do fim da fase de classificação

O Torneio de Futebol do Distrito de São José dos Salgados está a uma partida do final da fase de classificação

Falta Monte Santo e Maribondos, este jogo define não apenas se Monte Santo estará classificado, mas pode alterar a ordem de classificação também.

A competição reuniu 14 times, divididos em três chaves, classificando os dois melhores de cada chave, ainda dois terceiros colocados. A chave A é composta por Bragantino, Ribeiros, Santa Tereza, Tabatinga e Valência. Na chave B, Figueira, Galáticos, Monte Santo, Maribondos e Celeste Marvel. Na chave C, 4:20, São José, Zinabre, Niterói, Chelsea e Botafogo.

Após a fase de classificação, o primeiro colocado da chave A vai enfrentar o segundo do índice técnico. O primeiro de B vai enfrentar o primeiro índice técnico. O primeiro do grupo C vai encarar o terceiro melhor classificado em segundo lugar, os demais classificados em segundo lugar se enfrentam, formando o quarto jogo da semifinal. Começa sábado as quartas de finais, às 14h, São José x Galáticos, domingo, 8:30h,  4.20 x Ribeiros e, 10:30h, Figueira x Zinabre.

Os resultados da última rodada são: Tabatinga 0x4 Bragantino; 4:20 3x0 Niterói; Santa Tereza 5x4 Ribeiro, Botafogo 0x3 Zinabre. Figueira 1x1 Monte Santo. Monte Santo entrou em campo precisando da vitória e até saiu na frente, mas no segundo tempo, quem dominou foi o Figueira. Acertaram o poste, travessão e ainda o goleiro improvisado, Rinaldo, em tarde inspirada segurou o resultado.

O jogador versátil assumiu não ser goleiro e nem vai se apaixonar pela posição, mas se coloca à disposição da equipe, que precisa reunir forças para se classificar. “Não sou goleiro, estava quebrando o galho, eu jogo na linha, só que faltou o goleiro. Já jogava de vez em quando, treinador precisou e temos que esforçar para ajudar a todos e sairmos com o resultado positivo, infelizmente não conseguimos a vitória e o empate foi bom ainda. Eu acho que as defesas feitas foi vontade de ajudar e contei com a sorte também. Primeiramente, temos de contar com todos e lutar até o fim, trouxe meu filho (13 anos), para ele já se acostumar com a turma”, garantiu.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.