quinta-feira, 23 de Junho de 2016 13:20h Luciano Eurides

Treinador Gustavo Brancão recebe hoje o prêmio Esportista Destaque 2016

A Câmara Municipal de Divinópolis entrega na noite de hoje (23) o prêmio Esportista Destaque do ano de 2016

POR LUCIANO EURIDES

luciano.eurides@gazetaoeste.com.br

 

Ele é oferecido àqueles que se dedicam em favor do esporte. No caso de Gustavo Brancão, divinopolitano, atuou no futebol da cidade e atualmente é uma referência no estado de Minas Gerais no trabalho de treinador. Leva o nome da cidade a competições internacionalmente importantes, como a Copa São Paulo de Futebol Júnior.

 

 

Gustavo Marcos Rodrigues nasceu em Divinópolis em 13 de junho de 1984, atuou no futebol da cidade, onde foi campeão da Copa Kaiser de Futsal em 1991, campeão da cidade com o Palmeiras em 1999, campeão da cidade no futsal com o Ferroviário em 1996, com atuações também no V JOIA da cidade de Claudio, onde foi campeão de futsal no ano de 2001 pela EE Padre Matias Lobato. Escolhido atleta disciplina da Copa Lugo Esportes do Automóvel Clube e ainda escolhido atleta destaque do Campeonato entre escolinhas do Cruzeiro, envolvendo todo estado de Minas Gerais, no ano de 1995. Entre outras.

 

 

Com este currículo, foi para o Guarani de Divinópolis, onde atuou na categoria de base e se profissionalizou no Araxá Esporte, este entraria novamente no curso de vida dele. Antes, ele cursou educação física e, ainda em formação, mostrou seu potencial como treinador durante uma seleção de atletas feita pela secretaria de esportes de Divinópolis, isso para a disputa da Copa Centenário do Galo, a equipe teve um comando forte, embora a pouca idade do treinador. Fez uma unidade muito forte entre os atletas, vista mesmo pelo adversário, o último deles o Araxá Esporte, que eliminou a seleção de Divinópolis e conquistou o título de campeão, inclusive usou atletas da cidade já nas fases finais, conforme o regulamente permitia.

 

 

Antes de se consagrar no Araxá Esporte, Gustavo Brancão ainda treinou o Divinópolis Esporte Clube e passou pelo Nacional da cidade de Nova Serrana. Aproveitou a grande fase da equipe profissional da cidade do calçado, seguiu para as categorias de base do América, onde faz um trabalho de números impressionantes. Em quatro anos, três vezes campeão do interior e sempre entre as seis melhores de Minas Gerais. Esse ano novamente no hexagonal final.

 

 

Para o treinador Gustavo Brancão, o título a ser recebido na noite de hoje é um incentivo a continuar o trabalho bem feito. “Fico feliz pelo reconhecimento do trabalho, a assessoria do vereador Rodyson me ligou ainda quando eu estava no Social e fiquei muito feliz, isso vem a engrandecer o trabalho. Sei que a mídia tem divulgado meu trabalho, e espero outros, já tenho dado alguns passos na minha carreira e estes têm sido bastante positivos. Tudo na vida tem seu momento, o Brasil precisa de mudança, ainda existem muitos aventureiros no mundo da bola, mas cada dia que passa, aqueles que se empenham ao máximo, tendo a consciência de fazer aquilo que mais gosta e fazer um caminho positivo, dentro do tempo que Deus quiser”, considerou.

 

 

A escolha do nome dele remete a pensamentos. “Passa muita coisa na cabeça da gente, tenho 32 anos e sou treinador, receber esse título é muito importante e mostra nosso trabalho, por mais que seja meu trabalho fora de Divinópolis, não é fácil. Passa um filme na cabeça e tenho a consciência de que muita coisa boa vem ainda. Sei das dificuldades dos clubes, não recebi o convite, mas tenho o desejo de voltar à Divinópolis, ao próprio Guarani e isso é uma questão de oportunidade e confiança no trabalho que a gente faz”, falou Gustavo Brancão.

 

 

 

O Araxá Esporte está na história do treinador. “Eu me profissionalizei em 2005 como jogador de futebol em Araxá, estive contra como treinador, houve o contato logo na minha saída do Nacional e uma progressão”, disse, mas antes mesmo de tudo isso, ele já acompanhava o pai, o locutor esportivo Antônio Eustáquio Rodrigues, nos campos de Divinópolis e em Araxá, cidade onde o pai sempre o levava. Portanto, o prêmio de hoje remete a uma história de vida, família, esporte e esperança, pois com pessoas dedicadas e com trabalho sério é possível estancar essa crise moral instalada no futebol brasileiro.

 

 

 

Ainda serão agraciados: Henrique Lane dos Santos, Vinícius Morais, Os Bravos (Basquete em Cadeiras de Rodas), João Victor Costa e Silva, Rodolfo César Duarte da Silva, Paulo Otávio Brandão Santos, Jhonatan Geraldo Apolinário, Associação Divinopolitana de Ciclismo, Kerolayne Rios Pereira, Ronaldo Gontijo Filho, Equipe do Napoli, Alexandre Rodrigues Cunha, Sebastião da Silva Melo Júnior, Marcelo Fonseca Vaz, José Edson Barra Mansa e Frederico Alvim Souza.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.