sexta-feira, 1 de Maio de 2015 07:45h

Tudo pronto para a grande final do Campeonato Mineiro

O árbitro mineiro Emerson de Almeida Ferreira comandará o segundo jogo da final do Campeonato Mineiro, entre Atlético e Caldense, neste domingo, às 16h, no estádio Dilzon Melo, em Varginha

Ele será auxiliado por Janete Mara Arcanjo e Guilherme Dias Camilo, que havia sido um dos bandeiras no jogo de ida, no Mineirão.
Emerson Ferreira entrou no sorteio com Igor Júnior Benevenuto, que será o quarto árbitro da partida. O primeiro jogo, em Belo Horizonte, terminou empatado sem gols. Como a Caldense foi a líder da fase de classificação, a equipe do Sul de Minas tem a vantagem de jogar por outra igualdade para ser a campeã estadual. Já ao Atlético resta apenas a vitória para ficar com o 43º título da história do clube.
O zagueiro Leonardo Silva está recuperado das dores musculares na coxa direita. Nesta quarta-feira, o defensor foi liberado pelo departamento médico do Atlético, participou do treinamento e vai poder reforçar o time no segundo jogo da final do Campeonato Mineiro.
Léo Silva se machucou no dia 12 de abril, no empate com o Cruzeiro, pelo jogo de ida das semifinais do Estadual, no Independência. Na mesma partida, o zagueiro foi expulso após acertar um chute em Leandro Damião e ficou fora do segundo duelo, no Mineirão. O incômodo na coxa também tirou o defensor da partida contra o Atlas, no México, pela Copa Libertadores.
Já o lateral-direito Marcos Rocha continua em tratamento e não tem previsão para ser liberado para os treinos com o grupo. Assim como Léo Silva, o jogador se machucou no clássico contra o Cruzeiro, há pouco mais de duas semanas, ao sofrer uma entorse no tornozelo direito.
A Caldense está a um empate de fazer história no próximo domingo. O feito pode se tornar ainda maior pelo fato de a equipe do Sul de Minas ter a chance de levantar o troféu sem perder para ninguém. Experiente em finais de Estadual, o volante Yuri receita tranquilidade ao time, que precisará conter o ímpeto da equipe alvinegra.
Por ter feito a melhor campanha na fase de classificação e segurado o resultado de 0 a 0 com o Atlético, no Mineirão, a Veterana será campeã se não levar gol, ponto forte da equipe que não é vazada há oito jogos seguidos. “Da mesma forma que eles agrediram aqui (no Mineirão) vão agredir lá. É ficar atento e ligado. Temos 90 minutos para fazer história, pois depois de muito tempo um time do interior não chega forte a uma final, ainda mais para ser campeão invicto”, declarou.
Esta é a terceira final de Estadual do volante. Em 2013, Yuri estava no Goiás quando disputou a decisão do Goiano contra o Atlético-GO e conquistou o título. No ano passado, o jogador defendeu o Náutico na partida decisiva do Campeonato Pernambucano diante do Sport, mas o Timbu acabou derrotado. Agora, ele quer faturar um troféu que será histórico para a Caldense. “Já é a minha terceira final seguida em Estadual. Lá dentro são onze contra onze e o torcedor não entra em campo, apesar da casa cheia com o torcedor do Atlético. É fazer a nossa parte e procurar fazer história”, afirmou.
A Veterana conquistou o Mineiro em 2002, mas naquele ano América, Atlético e Cruzeiro não disputaram o torneio pela existência da Copa Sul-Minas. Assim, o trio da capital se juntou à Caldense no chamado Supercampeonato Mineiro, que foi vencido pela Raposa. Desta vez, a equipe alviverde terá a chance de desbancar os times da capital.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.