sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012 14:33h Luciano Eurides

Velocidade promete ser maior arma do Galo

Desde o inicio da preparação do Atlético os atacantes, naturalmente velozes vem ganhando espaço para o trabalho. Com a chegada do argentino Escudero, que impõe mais velocidade, essa deve ser a arma do time para a temporada 2012.
Danilinho garante que não vai faltar movimentação no ataque. Ele pretende ora fazer a função de meia ora de atacante pelos lados.“O jogador tem que estar preparado para fazer uma ou duas funções em campo. O Cuca está formando um esquema de três atacantes. Tem que ser versátil, procurar jogar pelos lados e pelo meio. Tem que estar disposto a jogar em todas as posições”, disse o jogador.
O meia-atacante, que estava no Tigres do México e foi emprestado ao Atlético por um ano, ressalta que a troca de posições dificulta o trabalho dos defensores. “Fica mais fácil para desviar do marcador. É bom quando você está movimentando em campo e buscando espaços livres”, disse Danilinho, que aposta também na velocidade dos jogadores de frente do Atlético: “Espero que, no decorrer do ano, possamos ser esses jogadores velozes para ajudar a equipe. Velocidade hoje no futebol, independentemente de ser atacante ou não, você tem que ter.”
Depois de três anos e meio no futebol mexicano, Danilinho acredita que está mais maduro em seu retorno ao Atlético: “Saí com 20 anos. Agora tenho 24. Fui para fora do Brasil, ganhei titulo, fui campeão. Agora, volto mais maduro. Espero ajudar meus companheiros em campo e que ele me ajude também.”
O técnico Cuca demonstrou o que pretende para o Atlético em 2012. Leandro Donizete, Escudero e Danilinho foram os reforços que já apareceram como possibilidades no time titular. O meio de campo começou a ser montado, com dois volantes e três meias. No ataque, o treinador mandou apenas um centroavante: André.
Na contenção, Cuca escalou dois cães de guarda: Leandro Donizete e Pierre. Sendo assim, liberdade para os velozes armadores Danilinho, Bernard e Escudero, que se posicionaram na direita, esquerda e centralizado, respectivamente. “Acho que o jogador tem que estar preparado jogar em uma ou duas funções. O Cuca estava formando um esquema com três atacantes, mas, às vezes, eu ficava no meio de campo e se passa o lateral tem que cobrir. Todos os jogadores têm que estar dispostos a jogar em todas as posições”, comentou Danilinho.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.