segunda-feira, 13 de Janeiro de 2014 12:08h

Venda de Bernard

Galo recebe sinal positivo e fica na expectativa para liberação do dinheiro

Os R$ 54 milhões bloqueados pela Fazenda Nacional por conta de dívidas tributárias podem cair no caixa do Atlético nos próximos dias. O dinheiro se refere a parte do valor pago (R$ 74 milhões) pelo Shakhtar, da Ucrânia, pelo atacante Bernard.
“No ano de 2013, participamos de várias reuniões, em varias esferas políticas do Governo Federal. Nessas reuniões, nós chegamos a fechar o acordo para o parcelamento especial, feito com outros clubes e empresas também. Quando seria celebrado o acordo, outro problema aconteceu. Mas, no final do ano, o Governo sinalizou que aceitaria o acordo nas bases que foram colocadas e exigiu que apresentássemos uma nova proposta com essas condições que haviam sido acertadas em 2013. Nós enviamos. Estamos na expectativa que o Governo Federal cumpra os termos que foram discutidos e o acordo seja efetivado”, explicou o diretor jurídico do Atlético, Lásaro Cândido da Cunha, em entrevista ao Superesportes.
A confirmação do acordo pode sair já na semana que vem, mas, de acordo com o dirigente, a burocracia pode exigir mais tempo: “Eu já fiz contato para que, se for o caso, ir a Brasília na próxima semana. Sempre que se trata do governo, o processo é mais lento, burocrático e pode demorar mais um tempo para que seja marcada essa reunião”.
Lásaro Cândido da Cunha ressalta que o Atlético não quer benefícios do Governo como patrocínios esportivos. O desejo são condições para pagar a dívida. O Galo apresentou garantias em cima das receitas do clube:
“São receitas que o clube tem, mas isso já é colocado em todas as discussões. Os clubes têm situações específicas. O Atlético tem, em termos de garantias, condições excepcionais para oferecer. O clube não pediu em troca nenhum patrocínio nem nada, simplesmente estabeleceu uma relação para os pagamentos. O clube já vem fazendo esse processo em outros órgãos, como a Justiça do Trabalho”, disse o diretor jurídico.
A liberação do dinheiro é fundamental para a viabilização financeira do Atlético, chegou a dizer o presidente Alexandre Kalil, em dezembro passado. O clube tem dificuldades para honrar compromissos salariais e apontou o bloqueio como causador dos atrasos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.