sábado, 10 de Novembro de 2012 05:35h Gazeta do Oeste

Vexame de 2011 serve de exemplo para Galo não perder mobilização este ano

Com remotas chances de título e vaga assegurada na Copa Libertadores, o Atlético trabalha para não chegar ao final do Campeonato Brasileiro sem motivação para entrar em campo. Segundo o técnico Cuca, encerrar a temporada positivamente é fundamental. Não sai da memória do treinador a goleada sofrida para o Cruzeiro por 6 a 1, no ano passado, quando o Galo chegou à última rodada sem ameaça de rebaixamento.

“A gente conversou bastante sobre 2011, uma situação parecida com essa. Faltavam quatro jogos, tínhamos 76% de chance de cair, a gente venceu três e escapamos. Concentramos dois dias antes da última partida e fizemos o maior vexame, pelo menos da minha vida. As férias eram para ser maravilhosas, mas quebramos a garrafa de vinho na cabeça. Foram as piores férias da minha vida. Este ano não vou fazer isso de novo. É mobilizar ao máximo para estes quatro jogos, espero que façamos tudo diferente.”

Restando quatro rodadas, o Atlético está a nove pontos do líder Fluminense. As chances de título são menos de 1%. Por outro lado, o Galo já está garantido ao menos na pré-Libertadores. O objetivo do time é se classificar direto para a fase de grupos. Para isso, o Alvinegro precisa terminar o campeonato na vice-liderança.

Ainda acreditando no título, Cuca não deixou de festejar a presença do Atlético na Libertadores 2013, meta inicial do clube no Brasileirão:

“Eu garanti à diretoria, quando montamos esse time, a vaga na Libertadores. Graças a Deus, estou cumprindo a promessa que fizemos. O ano que vem é o ano do Atlético, voltando à Libertadores depois de 13 anos, com o estádio que tem, com a confiança do torcedor. Tem de ser um ano melhor. Tem de pensar grande, a montagem tem de ser assim”, projeta o treinador.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.