sexta-feira, 8 de Novembro de 2013 07:46h Atualizado em 8 de Novembro de 2013 às 07:47h.

Volante Nilton não esperava que a temporada fosse tão maravilhosa

Terceiro atleta do Cruzeiro que mais vezes entrou em campo em 2013 e um dos jogadores mais regulares da equipe durante toda o ano, o volante Nilton confessou que não esperava uma temporada tão especial como a que o Melhor Clube Brasileiro do Século XX est

Terceiro atleta do Cruzeiro que mais vezes entrou em campo em 2013 e um dos jogadores mais regulares da equipe durante toda o ano, o volante Nilton confessou que não esperava uma temporada tão especial como a que o Melhor Clube Brasileiro do Século XX está fazendo e que pode ser coroada, no próximo domingo, com o título do Campeonato Brasileiro, com cinco rodadas de antecedência.

 

“Muito trabalho, muito suor. Fico muito feliz por tudo que está acontecendo. Não esperava que a temporada fosse tão maravilhosa. Cheguei meio desacreditado, não tão badalado. Mas querendo agradar aos torcedores cruzeirenses. Não é trabalho individual, sem os companheiros não teria chegado onde estou agora”, comentou ele, que disputou 51 dos 57 jogos da equipe em 2013, atrás apenas do goleiro Fábio (55 partidas) e do meia Everton Ribeiro (53).

 

De acordo com o volante, autor de oito gols no ano até agora, o Cruzeiro precisa manter, no domingo, o mesmo ritmo que adotou durante toda a competição, para conseguir vencer o Grêmio, que luta por uma das vagas à Libertadores de 2014.

 

“Continuar mantendo nossa concentração, nossa pegada. Jogo de três pontos, encaramos cada jogo como se fosse uma final e o Grêmio virá com toda gana, força de vontade para ficar no G-4. Os torcedores podem fazer a festa deles, mas, para nós, desde o inicio do jogo vamos ligados para não sermos surpreendidos no Mineirão, como fomos contra o São Paulo”, afirmou Nilton, se referindo à única derrota da Raposa como mandante na temporada.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.