terça-feira, 13 de Novembro de 2012 14:13h Gazeta do Oeste

Wallyson diz que ainda sente dores por lesão de 2011 e quer renovar por 'dívida'

Perto do fim de contrato com o Cruzeiro, Wallyson disse, em entrevista coletiva nesta terça-feira, que quer permanecer para “pagar uma dívida” com o clube. O atacante revelou que dores causadas por uma lesão sofrida em agosto de 2011 ainda o incomodam e impedem que atinja bom rendimento em campo.

“Não joguei como esperava depois da lesão. Meu pensamento era voltar a ser o Wallyson de 2010. Não foi como esperei. Tem algo errado. Joguei uma partida bem e outra não. Foram muitas coisas que aconteceram comigo que me atrapalharam. Sempre conversei com o médico. Vinha sentindo dor. Vinha conversando sempre, porque ainda estou com dor na minha lesão. Depois do campeonato, quero sentar com o médico para ver o que está acontecendo da minha lesão. Vamos terminar bem o campeonato e para depois ver essa lesão”, afirmou.

“Tenho uma placa e seis parafusos na minha perna esquerda. Essa placa limita alguns movimentos, como o giro, dominar com uma perna e virar. Não estou tendo arrancada. Tem alguma coisa errada, tenho de ver. Não está certo. Tenho de ver com o doutor o que está acontecendo”, acrescentou.

Wallyson se contundiu em partida contra o Internacional, no estádio Beira-Rio, pelo Brasileirão de 2011. Ainda em agosto do ano passado, passou por cirurgia no tornozelo esquerdo. O atacante destacou que as dores no o incomodam em treinamentos e jogos. Isso faz com que tenha receio de se lesionar novamente.

“Quero voltar a jogar bem, ter alegria de jogar bem, fazer jogadas. Falei com meu empresário essa semana. Quando acabar o campeonato, quero tirar a placa para ver se é ela que está me incomodando. Falei com doutor que sinto minha perna dormente no treino, o que não é normal. É uma coisa que está me incomodando, tirando minha concentração”, observou.

Renovação

O contrato de Wallyson vai até o fim de 2012. Por não ter conseguido repetir as atuações que o levaram ser artilheiro da Copa Libertadores de 2011, o atacante sente que tem uma “dívida” com o clube.

“Meu contrato vai até o final do ano, mas quero falar sobre contrato só ano que vem. Quero ficar, estou devendo ao Cruzeiro, que fez muitas coisas por mim. É um clube grande, que sempre está chegando. Quero continuar no Cruzeiro e isso só depende do presidente”, ressaltou.

Por enquanto, não houve negociação para a renovação contratual. “Meu empresário não teve contato com presidente depois da renovação até fim do ano. Mas não é hora de pensar nisso. Quero terminar bem o campeonato para conseguir uma melhor colocação”, complementou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.