quinta-feira, 26 de Maio de 2011 12:53h Luciano Eurides

Wallyson quer deslanchar contra o Palmeiras

No domingo, o Cruzeiro receberá o Palmeiras, às 16h, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro. E foi justamente naquele local, e contra aquele adversário, que o atacante Wallyson acredita ter iniciado sua boa fase com a camisa azul. O jogador marcou o gol da vitória por 2 a 1, na última rodada do Brasileirão, resultado que garantiu ao Melhor Clube Brasileiro do Século XX o vice-campeonato Brasileiro e diretamente a fase de grupos da Copa Santander Libertadores deste ano.


Depois disso, Wallyson iniciou a temporada 2011 muito bem, aproveitou as oportunidades e se tornou titular da equipe. Neste ano, o atacante disputou 22 partidas e marcou 13 gols, sendo assim o artilheiro do time. Mas, para Wallyson, o jogo contra o Palmeiras, em 2010, marcou o começo da boa fase.“Claro. Eu acho que depois daquele gol a minha história mudou muito rápido no Cruzeiro. Fico feliz por viver este momento no Cruzeiro e espero ajudar o time a conseguir as vitórias”, disse o atacante.


Wallyson está ansioso para reencontrar a Torcida na Arena do Jacaré. O último encontro foi na decisão do Campeonato Mineiro, na vitória de 2 a 0 sobre o Atlético-MG, que culminou no título do Estadual. Naquela oportunidade, Wallyson marcou o primeiro gol, muito parecido com o que fez contra o Palmeiras no ano passado. “É a minha casa, um campo que eu conheço bem. Espero voltar a marcar no domingo. Sabemos que é um jogo muito importante para a nossa equipe, que vai atrás dos primeiros três pontos no Brasileiro. Vamos trabalhar para conseguir isso aí”.


O jogador não acredita que seja sortudo, e afirma que a boa fase e os gols que fizeram dele o artilheiro do Cruzeiro na temporada até o momento sejam fruto do trabalho na Toca da Raposa II. “Não acho que seja sortudo. Tem aquele ditado, ‘Deus ajuda quem trabalha’. É por aí que eu penso. Não desisto nunca. Até o juiz apitar o final do jogo eu vou lutar para conseguir os gols e ajudar a equipe a vencer. Já aconteceu e espero que domingo, contra o Palmeiras, eu balance a rede e ajude o Cruzeiro a somar três pontos”.

 

Henrique é ajustado


Na ânsia de chegar à frente, Henrique tem deixado de cumprir uma das funções básicas de um volante: combater e proteger os zagueiros. Tem sido notória, também, a sua perda de qualidade no passe. Cuca percebeu todas essas mudanças no comportamento do ‘selecionável’ e está empenhado em resgatar o bom futebol dele, que é titular do time há pouco mais de três anos.


O técnico cobrou muito de Henrique na estreia do Brasileirão, contra o Figueirense, e já percebeu, pelos números estatísticos colhidos, que o volante voltou a ter uma atuação consistente. “Conversei com ele antes do treino. Ele jogou bem melhor do que estava jogando. Ele teve uma participação bem maior. São alguns ajustes que a gente está fazendo. Ele é um jogador que se notabilizou como segundo volante. E em algum momento, de um tempinho pra cá, ele está sendo mais meia que segundo volante. Então, ele está jogando mais de costas. O forte dele sempre foi aquela arrancada surpresa em direção ao gol, com bola dominada, e não aquele homem que vai pôr alguém em condição de fazer gol, aquele que vai estar lá na frente para receber a bola. O volante, quando corre a favor, quando tem a bola e corre para frente, é ótimo. Quando corre na contramão, aí tem algum errinho, temos que corrigir isso daí, até para ajudar o Henrique”, disse o técnico.


 

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.