quarta-feira, 3 de Fevereiro de 2016 10:55h Agência Minas

181 Disque Denúncia auxilia na prisão de quase 21 mil criminosos em Minas Gerais

Número de ligações que se transformaram em denúncias encaminhadas para investigação representou 14% do total de telefonemas recebidos

Importante aliado no enfrentamento à criminalidade em Minas Gerais, o 181 Disque Denúncia Unificado (DDU), coordenado pela Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS), registrou 79.569 mil denúncias anônimas em 2015. Com essa ajuda da população, as polícias prenderam, apreenderam ou recapturaram 20.970 indivíduos no período. A produtividade do serviço também melhorou.

O número de ligações que se transformaram em denúncias encaminhadas para investigação representou 14% do total de ligações recebidas, enquanto, em 2014, a percentual de produtividade foi de 12%. Isso representa uma queda no número de trotes e de denúncias inconsistentes.

As principais denúncias registradas são relativas ao tráfico de drogas (50.112), aos crimes ambientais (5.652), atividades de bombeiros (4.982), Estatuto do Desarmamento (3.242) e jogos de azar (2.623).

O movimento de janeiro aponta para a manutenção do volume de ligações em 2016. Foram 6.124 denúncias no período. O coordenador do DDU 181, Aaron Duarte, destaca que as informações da população otimizam o trabalho das Polícias e do Corpo de Bombeiros Militar.

Segundo ele, além da preservação da identidade do denunciante, é fundamental atendê-lo rapidamente para assegurar o sucesso do serviço. Duarte diz que 96% das ligações para o DDU 181 são atendidas em até 10 segundos, ou seja, até o terceiro toque do telefone.

 

 

Exemplo de caso resolvido

Atuando como um canal direto entre as instituições de defesa social e a população, o Disque Denúncia tem auxiliado na elucidação de diversos casos criminais. Um exemplo foi a prisão rápida do suspeito de assassinar o fiscal de ônibus Webert Eustáquio de Souza, de 33 anos, na manhã do dia 1º de outubro do ano passado.

Webert estava trabalhando num ônibus da linha 1502 (Vista Alegre/Guarani). Em determinado momento, ele pediu às pessoas que estavam na parte dianteira do ônibus que pagassem a passagem e fossem para a parte de trás. Foi quando um homem simulou que iria rodar a roleta, apontou um revólver e disparou cinco tiros contra o fiscal.

As câmeras do ônibus registraram o crime. Uma pessoa reconheceu o homicida nas imagens divulgadas pela imprensa e ligou para o 181 para denunciá-lo. Poucos dias depois, em 6 de outubro, Lucas Gomes de Oliveira, de 20 anos, conhecido como “Luquinha”, foi preso.

O delegado Emerson Morais, da Delegacia de Homicídios Leste, presidiu o inquérito que investigou o assassinato e afirma que o auxilio do denunciante foi fundamental para a investigação, assim como em outros casos em que atuou. “A denúncia feita pelo 181 tem ajudado a elucidar e combater a atividade criminal”, revela do delegado.

 

 

Como funciona o DDU

O cidadão faz a denúncia por meio do número 181 e recebe uma senha para acompanhar o resultado das investigações. As informações são registradas no sistema e encaminhadas a uma mesa composta por analistas da Polícia Civil, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Esses profissionais analisam e incorporam à denúncia outras informações que possam auxiliar na investigação e enviam para a ação da unidade de ponta responsável pela região denunciada.

Depois das investigações, as informações sobre resultados e providências adotadas retornam à mesa de análise, para que o resultado fique disponível para o denunciante. Assim, em até 90 dias, o cidadão que retorna a ligação com a senha em mãos pode receber, sem se identificar, as informações sobre o as investigações iniciadas por meio da sua denúncia.

Para o 181 Disque Denúncia, “o importante é o que você diz, não quem você é”. O lema é pra valer. A central de denúncias do 181 funciona ininterruptamente e a ligação é gratuita.

 

 

Casos que não devem ser registrados

O 181 Disque Denúncia não oferece resposta imediata, já que existe um prazo de 90 dias para apurar e responder a denúncia apresentada. Quando o cidadão precisar de uma resposta rápida, como em casos de flagrante, por exemplo, deve entra em contato direto com as corporações: Polícia Militar (190), Polícia Civil (197) e Corpo de Bombeiros (193).

As denúncias específicas de violência contra idosos, mulheres e pessoas com deficiência também não devem ser feitas pelo 181, mas pelo Disque Direitos Humanos (0800 031 1119). Um serviço gratuito, sigiloso, que também recebe ligações de todo o estado e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.