segunda-feira, 6 de Junho de 2016 16:10h Agência Minas

56ª Exposição Estadual Agropecuária teve público recorde de 55 mil pessoas

Evento mostrou a diversidade do agronegócio mineiro e agradou ao público com as novidades. Leilões faturaram R$ 874 mil

A Exposição Estadual Agropecuária encerrou sua 56ª edição nesse domingo (5), no Parque de Gameleira, em Belo Horizonte, com público recorde de 55 mil pessoas. O evento levou ao Parque da Gameleira, durante seis dias, pecuaristas, produtores rurais, profissionais do agronegócio e estudantes de áreas afins ao setor, que puderam acompanhar a diversidade e o potencial produtivo de diferentes setores da agropecuária mineira.

A feira contou também com a presença maciça do público em geral, atraído pela oportunidade de conhecer mais de perto um pouco da vida do campo. O público aprovou as novidades deste ano, com a mostra e concurso de peixes ornamentais e de flores e folhagens de Minas.

 

 

 

O evento foi uma realização da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e sua vinculada Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), juntamente com o sistema da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg).

Para o secretário de Agricultura de Minas, João Cruz Reis Filho, "a exposição foi coroada de êxitos, contando com a presença maciça do público, famílias e crianças felizes, em contato com a rotina do meio rural. Neste ano, além dos tradicionais julgamentos de raça e leilões, tivemos uma série de novas atrações que apresentaram resultados surpreendentes, como os diversos cursos e palestras técnicas, a mostra e o concurso de peixes ornamentais, a exposição de flores e folhagens, além da Feira do Pró- Genética e Pró-Fêmeas. Todo o esforço valeu a pena", disse.

 

 

 

Para o presidente da Faemg, Roberto Simões, “ao chegar à 56ª edição, a Exposição Estadual Agropecuária confirmou novamente o sucesso que consolidou sua tradição como um dos mais importantes eventos do setor no estado. Por uma semana, o Parque da Gameleira tornou-se grande vitrine do melhor que o campo produz, cada vez com mais inovação, melhoramento genético e trabalho competente do produtor rural. É ambiente de negócios, mas é também de encontro, de visibilidade e reconhecimento”, disse.

O dirigente ressaltou que além do caráter negocial, outro importante objetivo do evento é apresentar a realidade rural ao público urbano. “Em tempos de intensa urbanização, esta é uma função social, didática, de trazer às famílias e crianças da capital a oportunidade de conhecer esse universo, ter contato com os animais e conhecer a origem dos alimentos que consome”.

 

 

 

Animais vencedores

A pista de grama foi palco para o desfile dos melhores animais de diversas raças, propriedade de criadores de Minas e de outros estados. Entre os premiados, destaque para o vencedor como o número 1 da raça pônei em todo o Brasil, kojac D'Luca, de Sergipe,que levou os títulos de grande campeão nacional da raça e de campeão dos campeões.

Entre os bovinos, a novilha da raça brahman Miss 2322 Portobello, do Rio de Janeiro, conquistou o primeiro lugar na categoria novilha menor, com 12 meses e 328 quilos. Entre os vencedores de Minas, a fêmea guzerá Nanda FIV Tiata, de 20 meses e 620 quilos, de Curvelo, foi premiada como a grande campeã da raça.

 

 

 

Leilões

Os três leilões realizados durante a Exposição Estadual faturaram juntos R$ 874 mil com a venda de 84 animais. O leilão com o maior faturamento foi o do jumento pêga, que somou vendas de R$ 395 mil, seguido do pregão do campolina (R$ 286 mil) e do pônei e pequira (R$ 183 mil). O animal mais caro foi Rambo de São João, um exemplar campolina arrematado por R$ 45 mil.

 

 

 

Pró-Genética

A Exposição Estadual Agropecuária, pela primeira vez, promoveu uma feira dos programas Pró-Genética e Pró-Fêmeas em Belo Horizonte. Foram disponibilizados para venda animais com a chancela  de qualidade de criadores filiados à  Associação dos Criadores de Girolando  e à Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ).

A feira permitiu que pequenos e médios pecuaristas tivessem a possibilidade de adquirir animais de alto padrão genético para melhoria do rebanho. De acordo com o levantamento preliminar, foram vendidos oito machos das raças guzerá, senepol e tabapuã e oito fêmeas meio-sangue.

“São animais com registro de genealógico, livres de doenças como brucelose e tuberculose, além de outros requisitos garantidos pelo Pró-Genética e Pró-Fêmeas", explica o coordenador de Bovinocultura da Emater-MG, José Alberto de Ávila Pires.

Os cursos e palestras técnicas também se destacaram com informações sobre diversos temas como sanidade animal, doenças que podem acometer os rebanhos e crédito rural, entre outros.

 

 

 

 

Flores e peixes

A diversidade e a beleza da mostra de peixes ornamentais agradou ao público que lotou o espaço para conferir cerca de mil peixes, 60% deles  procedentes do polo produtivo de Muriaé, na Zona da Mata mineira. Nos aquários, exemplares das espécies betta, guppy,  acará bandeira e killifish, entre outros.

Do Concurso Nacional de Peixes Ornamentais participaram criadores de Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro entre outros. Na eleição do aquário mais bonito pelo voto do público venceu o representante de BH com as espécies acará disco e neon innesi, ambas de água doce e de origem brasileira.

O espaço dedicado às flores contou com a beleza e a riqueza das espécies de flores do campo representadas por crisântemos, gérberas e lisianthus. As flores tropicais também chamaram a atenção com destaque para as helicônias, bastão do imperador e sorvetão (Zingiber spectabile Griff), apresentados por produtores de Rio Casca e Região Metropolitana de BH. O público pode participar de minicursos de arte floral, produzindo belos arranjos que foram sorteados entre os presentes.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.