segunda-feira, 10 de Fevereiro de 2014 04:18h

A produção industrial de Minas Gerais encerrou o ano de 2013 com queda de 1,3% ante um crescimento de 1,2% no país

A produção industrial de Minas Gerais encerrou o ano de 2013 com queda de 1,3% frente a um crescimento de 1,2% no país como um todo.

O resultado negativo também foi verificado no Espírito Santo

(-6,7%) e no Pará (-4,9%), com as demais 11 áreas pesquisadas apontando crescimento. Com avanços

acima da média nacional figuraram Rio Grande do Sul (6,8%), Paraná (5,6%), Goiás (5,0%), Bahia (3,8%),

Ceará (3,3%) e Santa Catarina (1,5%). Adicionalmente, Região Nordeste (0,8%), Pernambuco (0,7%), São

Paulo (0,7%), Amazonas (0,7%) e Rio de Janeiro (0,1%) completaram o conjunto de locais com taxas

Em Minas Gerais, os resultados negativos na série anualizada (resultados acumulados em 12

meses) já vinham acontecendo desde outubro de 2013, sendo na indústria extrativa mineral desde

fevereiro de 2103 e na indústria de transformação somente em dezembro. Houve recuo em 9 das 13

atividades investigadas (tabela 1), com destaque para os impactos negativos vindos de veículos

automotores (-7,6%) e da indústria extrativa (-6,2%), pressionados, principalmente, pela menor produção

de automóveis; e de minérios de ferro, respectivamente. Vale mencionar também as perdas vindas de

metalurgia básica (-3,1%), de produtos de metal (-7,7%) e de minerais não-metálicos (-3,5%). Por outro

lado, os setores de alimentos (6,7%), refino de petróleo e álcool (8,4%) e de máquinas e equipamentos

(17,7%) assinalaram as contribuições positivas mais relevantes sobre a média da indústria estadual.

Tomando-se o mês de dezembro, na série dessazonalizada, houve recuo de 8,6% em Minas Gerais

(-3,5% no Brasil), o pior resultado entre as áreas pesquisadas. Outras 10 áreas apresentaram quedas,

destacando-se os estados do (-8,6%), Paraná (-7,3%) e Ceará (-6,2%). Por outro lado, Goiás (8,2%) e

Pernambuco (3,3%) e o Pará (0,9%) registraram os avanços.

Com esse resultado, a indústria mineira reverteu quatro resultados positivos, período no qual

acumulou ganho de 4,8%. Vale mencionar ainda que a queda desse mês foi a mais intensa desde fevereiro

de 2013 (-11,0%). Dessa forma, a produção industrial de dezembro de 2013 é superior ao de fevereiro do

mesmo ano, mas equivalente ao nível de janeiro de 2010. A indústria estadual fechou o ano de 2013 com o

nível de produção 10,5% inferior ao verificado em julho de 2008, nível mais alto anterior à crise

internacional do final de 2008

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.