segunda-feira, 27 de Junho de 2016 14:32h Agência Minas

Academia Mineira de Letras é nova integrante do Circuito Liberdade

Com 107 anos de história, AML será mais um braço da literatura no Circuito e oferecerá programação gratuita e aberta ao público

A partir desta semana, a Academia Mineira de Letras (AML) passa a integrar o Circuito Liberdade como um de seus equipamentos culturais. O acordo de cooperação com o Governo do Estado, via Secretaria de Estado de Cultura (SEC) e Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), foi assinado na sexta-feira,  17 de junho, em solenidade na sede da instituição. Estiveram presentes no evento a nova presidente da casa, Elisabeth Fernandes Rennó de Castro, e seu antecessor, Olavo Romano, a presidente do Iepha-MG, Michele Arroyo, a coordenadora geral do Circuito Liberdade, Marcela França, o superintendente de Bibliotecas Públicas e Suplemento Literário, Lucas Guimaraes, e Rogério Tavares, mais novo membro da Academia.

A localização da AML, o valor histórico da edificação, a riqueza de seu acervo e a evolução mais recentemente alcançada para a construção de uma programação cultural de qualidade aberta ao público são alguns dos atributos que conferem à instituição significativa configuração para se juntar ao Circuito Liberdade. Com a integração oficial ao projeto, a Academia terá também um assento no Comitê Gestor do Circuito Liberdade e participará das articulações para a construção de projetos culturais em rede ao lado dos outros 13 equipamentos que já compõem o complexo cultural.

 



Segundo Michele Arroyo, o acervo da Academia se encaixa na perspectiva de ampliação do olhar sobre o Circuito Liberdade, trazendo ganhos de conteúdo e possibilidades de construção de novos roteiros de visitação do público com foco na literatura. “Com a Academia, nos aproximamos da construção de pequenos circuitos dentro do Circuito Liberdade, além de reforçar o eixo da Rua da Bahia, que tem grande valor cultural na cidade e passou a integrar o projeto em 2015”, explicou.

A participação da entidade no projeto também foi comemorada pela coordenadora geral do Circuito Liberdade, Marcela França: “A entrada da Academia nos fez questionar o nosso caminho e repensar propostas novas para o Circuito”, disse.

 



Para Olavo Romano, um dos principais incentivadores da parceria, o convênio da Academia Mineira de Letras com o Iepha-MG carrega um simbolismo importante e traz ganhos para todos. “Passamos a integrar um circuito que não é apenas para visitação, mas um circuito institucional, com gestores e produtores de cultura que passarão a trabalhar juntos”.

A nova presidente da AML, Elisabeth Fernandes Rennó de Castro, também ressaltou os ganhos da integração institucional: “Estar no Circuito aumenta o prestígio da Academia e é um momento histórico para nós”. Para Rogério Tavares, mais recente membro da AML, “a parceria poderá aproximar ainda mais a Academia do povo e de toda a cidade”.

 



A partir da assinatura do acordo de cooperação com o Iepha-MG, a Academia Mineira de Letras dará continuidade ao planejamento de ações para a construção de uma programação aberta ao público. As atividades passarão a integrar o roteiro de visitação do Circuito Liberdade com foco na literatura. A AML fica na Rua da Bahia, 1466, Lourdes. 

 



Academia

A Academia Mineira de Letras foi fundada na cidade de Juiz de Fora, em 1909, por um grupo de jornalistas, escritores, profissionais liberais, homens públicos e militantes ligados à literatura e à cultura. Os 12 idealizadores da entidade, capitaneados por Machado Sobrinho e integrados por intelectuais como Belmiro Braga, Dilermando Cruz, Amanajós de Araújo e outros expoentes das letras, elegeram mais 18 intelectuais espalhados por todo o estado e representativos do que de melhor existia entre a elite acadêmica de Minas Gerais para integrar o projeto. Dentre os dezoito, destacavam-se Nelson de Senna, Alphonsus de Guimaraens e Carlos Goes, além de outras influentes personalidades da época.

Em 1915, a sede da Academia foi transferida para a capital do estado, Belo Horizonte. Em 1943, a instituição ganhou sede própria, instalada no sexto andar do edifício situado à Rua dos Carijós, onde permaneceria até 1987, quando passou a ocupar o palacete Borges da Costa, atual sede da Academia e cognominado Casa de Alphonsus de Guimaraens.

 



O edifício passou por um processo de restauração e a AML também ganhou, em seguida, o auditório ao lado, construído a partir de um projeto do arquiteto Gustavo Penna. O contraste do clássico – palacete, verdadeiro relicário – e o moderno arrojado e funcional – auditório – deu à Academia o realce e a beleza externa que seu rico conteúdo interno abriga.

A casa passou a ser integrada por 40 membros a exemplo da Academia Brasileira e da Francesa, eleitos por um colégio eleitoral inter pares em processo aberto a todo cidadão brasileiro, com qualificações para postular o acesso ao sodalício.

 

 



Circuito Liberdade

O Circuito Liberdade foi criado em 2010 e já é reconhecido como um importante corredor de cultura do País. Abrigado em uma área histórica da capital mineira, o Circuito é composto por 14 instituições, dentre museus e centros culturais, que mapeiam diferentes aspectos do universo cultural e artístico.

Sob a gestão do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG) desde janeiro de 2015, o projeto busca agora maior articulação com o espaço urbano e com os diversos grupos artísticos e populares, consolidando-se como um braço forte da política pública de Cultura do governo estadual.

Dentre os equipamentos culturais em funcionamento no Circuito, sete são geridos diretamente pelo Governo do Estado e os outros funcionam por meio de parcerias.

 

 



Equipamentos públicos sob a gestão do Estado

  1. Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa
  2. Palácio da Liberdade
  3. Arquivo Público Mineiro
  4. Museu Mineiro
  5. Centro de Arte Popular Cemig
  6. Cefart Liberdade
  7. BDMG Cultural

Equipamentos em funcionamento em função de parcerias

  1. Espaço do Conhecimento UFMG
  2. MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal
  3. Memorial Minas Gerais Vale
  4. Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)
  5. Horizonte Sebrae – Casa da Economia Criativa
  6. Casa Fiat de Cultura
  7. Academia Mineira de Letras

Informações para a imprensa: (31) 3235-2817.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.