quarta-feira, 11 de Março de 2015 12:49h

Ação da Codevasf em perímetro mineiro trará economia de água na irrigação

Mais de 40% de economia de água no perímetro irrigado Gorutuba, no norte de Minas Gerais, é o resultado esperado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf)

Mais de 40% de economia de água no perímetro irrigado Gorutuba, no norte de Minas Gerais, é o resultado esperado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) com a conclusão das obras de reforma e modernização que estão sendo empreendidas no projeto – as quais já estão avançadas em 35% e têm um investimento total previsto de R$ 95 milhões, recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
Quando o sistema estiver concluído e em operação, os 426 usuários do perímetro passarão a contar com significativa melhoria na eficiência de condução e distribuição de água. “Dessa forma, será possível aumentar a reserva de água na barragem, garantindo o fornecimento aos produtores, mesmo em períodos de baixa precipitação como o que vem ocorrendo nos últimos anos”, explica o chefe da Unidade de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação da Codevasf em Minas Gerais, engenheiro agrícola Marcos Egídio.
Outros fatores que beneficiarão os produtores do Gorutuba, acrescenta Egídio, serão as reduções nos custos da manutenção da infraestrutura de uso comum e no de energia elétrica parcelar para parte do irrigantes. As obras da reforma estrutural do perímetro permitirão a transformação de parte do sistema de condução de água de canais abertos para o sistema de tubulação.
Na primeira fase, ora em execução, estão sendo implantados 56.426 metros de tubulação, com investimento de aproximadamente R$ 57 milhões. O projeto prevê a substituição de parte do canal principal e toda a rede de canais secundários, terciários, quartenários e quinternários por tubulação pressurizada gravitacionalmente, aproveitando a carga hidráulica disponível em relação à barragem do Bico da Pedra, com capacidade de armazenamento de 705,6 milhões de m³.
Além dessas substituições, também serão implantados um sistema automação e controle, um sistema de medição parcelar de consumo de água e monitoramento de água nas estruturas do canal/adutora.
Para o irrigante Gustavo Lage, com essa ação governamental que garante a segurança hídrica, os produtores do perímetro Gorutuba terão a certeza de uma produção com qualidade a custos menores e a diminuição dos riscos de racionamento, o que tantos anos incomodou e deixou o produtor na incerteza de investir na sua área de produção.
Dimas Rodrigues, superintendente da Codevasf em Minas Gerais, acredita que, com essas ações, a Companhia não só atende uma antiga reivindicação dos usuários daquele perímetro irrigado, mas também vai ao encontro da necessidade de se adotar medidas de racionalização no uso da água, insumo fundamental no processo da produção agrícola.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.