segunda-feira, 26 de Janeiro de 2015 09:45h

Ações sustentáveis e escala de revezamento garantem água no Carnaval de Ouro Preto

Repúblicas possuem reservatórios extras de água e ainda limitam tempo de banho dos visitantes; Gelo dos congeladores da Arena Ouro Folia serão reutilizados na limpeza do evento

Considerado o quarto maior carnaval do país, a cidade histórica de Ouro Preto, localizada na região central de Minas Gerais, se prepara para receber 70 mil turistas durante o feriado. Em função do prolongamento do período de estiagem e o baixo nível dos reservatórios de água que abastecem o município, o Serviço Municipal de Água e Esgoto (SEMAE) adotou nesta semana uma escala de revezamento de água para evitar o racionamento.
Para o superintendente Executivo do SEMAE, Wandeir José dos Santos, o escalonamento na oferta de água é a saída para garantir o abastecimento em Ouro Preto. “Estamos executando o processo de manobras, ou seja, em um determinado horário do dia abastecemos uma parte da cidade e depois paralisamos o abastecimento desse local para desviarmos para outra comunidade. Essa ação se chama manobra do sistema que é diferente de um racionamento em que o abastecimento ocorre uma vez durante a semana”, afirmou.
Em Ouro Preto ainda não existe a cobrança pelo consumo de água. De acordo com o superintendente a população paga uma Taxa Básica Operacional- TBO cobrada pela prestação e manutenção do serviço de distribuição de água.
“O nosso foco neste momento em que se aproxima o carnaval é trabalhar exaustivamente para manter o sistema operando, se conseguirmos desempenharmos essa ação é quase certo que não teremos problemas com falta de água durante a folia, mas para que isso aconteça é imprescindível a colaboração de todos no sentido de evitarem o desperdício”, declarou Wandeir.
O rodízio adotado em Ouro Preto é classificado em duas categorias. Em alguns bairros, o abastecimento é realizado a cada dois dias. Em outros, ele é feito por horário, algumas residências são atendidas entre 18h e 7h, por exemplo. Mas a crise hídrica não é um problema exclusivo de Ouro Preto, vários cidades em todo o país estão adotando ações para evitar o racionamento. Campanhas estão sendo lançadas solicitando que a população reduza o consumo de água em 30%.

Ações na Folia
Somado ao revezamento promovido pelo SEMAE, as repúblicas que hospedam grande parte dos turistas desenvolvem campanhas de consumo consciente. A República Confraria recebe durante o carnaval 35 hospedes e o imóvel possui sistemas que controlam o uso da água.
“Durante todo o ano fazemos campanhas com os moradores da República para economia de água, e durante o carnaval essas ações são intensificadas com os turistas que recebemos”, conta Jonh Reis Pimenta, morador da república.
Na Confraria os chuveiros são equipados com sistema de temporizador, após cinco minutos o aparelho corta a água, o sistema ainda limita a quantidade de água utilizada nas descargas. A residência ainda possui cisterna, o que garante ainda mais reserva de água para os turistas.
“Temos duas caixas d’água extras para garantir o abastecimento de toda a República durante a festa e o número de foliões que recebemos é restrito para não aumentar muito o consumo de água”, ressalta Jonh
E os produtores do Carnaval também decidiram implementar ações sustentáveis, para garantir a realização da folia com o consumo mínimo da água. Victor Hugo é produtor executivo do Carnaval de Ouro Preto na Arena Ouro Preto Folia. Chiclete com Banana, Sambô, Mc Guimê, MC Coringa, Olodum, Melanina Carioca e Luxúria são algumas das atrações. “Na Arena Ouro Preto Folia vamos conscientizar sobre a importância do uso racional da água. Todas as categorias de entrada do nosso evento são Open Bar. Reutilizaremos a água dos congeladores em que serão armazenadas as bebidas para a limpeza de todo o espaço, e assim evitarmos ao máximo o desperdício”, ressalta o produtor executivo.
Por dia serão consumidos no evento 400 pacotes de gelo, cada um de 20 quilos. As caixas térmicas em que as bebidas serão acondicionadas, que não utilizam energia elétrica, vão gerar um total de 7.000 litros de água. Esse volume será armazenado em uma caixa d’água para a limpeza dos banheiros químicos, camarins, backstage, pista e camarote após os shows.
“Com certeza faremos o que for preciso para que a folia aconteça com muita alegria como já é tradição em Ouro Preto. Estamos empenhados em contribuir e pensar alternativas que ajudem amenizar a situação da água no município”, conclui Victor Hugo.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.