quarta-feira, 16 de Outubro de 2013 07:05h

Agências de classificação de risco reafirmam “grau de investimento” de Minas Gerais

Para Standard & Poor’s e Moody’s, Estado inspira segurança para investimentos e tem perspectiva econômica estável

A exemplo da Standard & Poor’s – que, em agosto de 2013, reafirmou os ratings de crédito em grau de investimento concedidos inicialmente em 2012 ao Estado de Minas Gerais – em seu relatório de outubro a agência de classificação de risco Moody’s  confirmou o rating do Estado em “Baa3” e a perspectiva de crédito estável, garantindo ao Estado o grau de investimento.

De acordo com a Moody’s, a manutenção da nota de Minas Gerais no grau de investimento reflete o sólido desempenho estadual, além do ambiente operacional estável. A agência informa ainda que a recente redução da perspectiva da nota do Brasil não permitiu qualquer mudança substancial no perfil de crédito do Estado de Minas.

Entre os pontos positivos considerados no relatório da Moody’s, destacam-se a crescente e sólida fonte de arrecadação própria e uma base econômica diversificada, a manutenção da tendência dos saldos operacionais brutos e superávit financeiro, além de políticas e práticas de gestão claras.

Já como desafios, apontam-se a grande carga de dívida, embora a agência reconheça que está diminuindo, e a crescente pressão nos custos operacionais. No atual contexto de baixo crescimento econômico e de desafios para a manutenção das contas públicas em todo o país, a avaliação da Moody’s foi muito positiva para o Estado.

“Essa avaliação da Moody’s é muito positiva, pois representa o reconhecimento internacional da capacidade e da organização financeira de Minas Gerais, mesmo em um contexto de dificuldades econômicas nos cenários brasileiro e mundial”, afirma o secretário de Estado da Fazenda de Minas Gerais, Leonardo Colombini.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.