quarta-feira, 21 de Janeiro de 2015 11:23h

Agricultura Urbana é opção de renda para famílias de Sete Lagoas e Sabará

Hortas fornecem renda para agricultores e também contribuem para o enriquecimento da merenda escolar

Hortaliças cultivadas em avenidas no perímetro urbano. Algo pouco comum, mas que, em Sete Lagoas, município da região Central de Minas Gerais, é uma realidade há pelo menos 30 anos. A iniciativa foi possível por meio da implantação do projeto Hortas Comunitárias Urbanas. Uma ideia da prefeitura de Sete Lagoas, que conta com a parceria da Emater–MG e Cemig, e que tem beneficiado famílias de agricultores e contribuído para o enriquecimento da merenda escolar.

Trezentas e vinte e cinco famílias participam do projeto. As sete hortas foram implantadas em diferentes bairros, em áreas alugadas ou cedidas pela prefeitura e parceiros. Três hortas estão em três avenidas. Uma delas fica na avenida Prefeito Alberto Moura, no bairro Nova Cidade. No local trabalham 53 famílias. Cilei Santos Silva participa do projeto há 11 anos. Com o dinheiro que recebe com a venda de hortaliças, ela ajuda nas despesas de casa e na educação dos três filhos. “O trabalho aqui ajudou a melhorar a minha renda familiar”, conta a agricultora.

As sete hortas ocupam uma área de 15 hectares. Cada família recebe terreno e água de graça. A Cemig cedeu as áreas para a implantação das hortas localizadas nas avenidas. “Entre os resultados do projeto, destacamos a valorização das famílias, o aumento da renda familiar e a melhoria da qualidade nutricional da alimentação escolar”, afirma o superintendente de Agropecuária e Abastecimento de Sete Lagoas, Wagner Ferreira Campos.

Os agricultores recebem orientação técnica da Emater–MG sobre os cuidados para uma produção de qualidade. Ao participarem do programa, eles assumem o compromisso de doar parte da produção às escolas municipais. “Estimamos que 30 toneladas por ano são doadas das principais hortaliças, como alface, couve, cebolinha, cenoura, beterraba e espinafre”, diz o extensionista da Emater, Frank Martins.

Hortas comunitárias em Sabará

Quando se fala em agricultura urbana, o município de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, também é destaque. O cultivo de hortaliças em área urbana existe desde 2005, por meio do projeto de Hortas Comunitárias da Prefeitura de Sabará, que conta com a parceria da Emater–MG.

No total são quatro hortas comunitárias e 35 famílias beneficiadas. Os agricultores recebem orientações dos extensionistas da Emater–MG que vão desde o cultivo das hortaliças até a comercialização. De acordo com a extensionista Ediene Letícia Fonseca, o projeto tem como objetivos a “geração de renda, melhoria da alimentação e da qualidade de vida das pessoas envolvidas”.

As áreas para a implantação das hortas foram cedidas por empresas e empresários, por meio de parceria com a prefeitura. O governo municipal também fornece transporte, assume as despesas com água e cede um funcionário para coordenar o trabalho em três das quatro hortas comunitárias. Os agricultores contribuem com um fundo para manutenção dos equipamentos e aquisição de sementes. “O projeto proporciona a inclusão social de pessoas em risco social, promovendo o associativismo e a geração de renda”, afirma o extensionista Denis Soares de Morais.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.