quinta-feira, 20 de Dezembro de 2012 09:22h Paulo Reis

Agronegócio em Minas Gerais encerra o ano com expressiva taxa de crescimento

Em Divinópolis e região o setor de hortifrute desenvolvido pela agricultura familiar e a produção de gado leiteiro foram os destaques econômicos

O desenvolvimento do agronegócio no município é alicerçado na produção de leite, agricultura familiar, a qual produz diversos tipos de verduras e legumes que são comercializadas pelas feiras da cidade e ainda abastece supermercados e o Programa de Aquisição de Alimentos que direciona os produtos para as escolas da cidade.
Divinópolis e algumas cidades da região como é o caso de Bom Despacho pertence hoje a maior bacia leiteira do país. Apesar do pequeno número de fazendas produtoras de leite, a quantidade de litros extraídos nestas localidades conseguem atender a demanda das comunidades ao qual pertencem e ainda fornecer o produto a empresas de todas as partes do país.
Com relação a produção de gado de corte na região centro-oeste, esta se desenvolve em pequena escala, apenas para atender a demanda das cidades na qual estão inseridas. Em Divinópolis, por exemplo, existem dois frigoríficos que fazem o abate e a industrialização das peças para o comercio interno.
Em Formiga estão concentradas grandes plantações de batata, um importante pólo que tem fomentado a economia da região centro-oeste do estado.
Outro segmento que vem crescendo nesta região é o das frutas. Muitos produtores têm deixado de plantar verduras e se dedicado a este tipo de negócio. Toda a colheita da região tem sido direcionada para as indústrias nacionais que trabalham com a produção e distribuição da polpa.
Segundo o ex-secretario de agronegócio de Divinópolis, Paulo Marius a concentração de produtores de frutas está maior que a de verduras e legumes, uma situação que precisa ser controlada para que a demanda com relação as verduras de folha sejam atendidas.
Quanto a agricultura familiar já está em andamento um projeto que consiste na certificação de 100% desta atividade que irá fidelizar a qualidade dos materiais produzidos bem como o cuidado com o uso de agrotóxicos e ainda que este ao chegar ao consumidor esteja em condições nutritivas para ser consumido. São padrões que devem ser seguidos e que irão garantir um produto mais saudável a toda população.
De acordo com Paulo um procedimento que não deve ser deixado de lado pelos produtores é quanto a formalização do trabalho desenvolvido nestas lavouras, ou seja, o acompanhamento de técnicos para uma produção saudável é muito importante. Trabalhar na informalidade ainda é comum e isso precisa ser regularizado, ressalta.
A presença de um técnico no processo produtivo e de inspeção proporciona além da qualidade, uma maior garantia de que a produção renderá os lucros esperados, o que colabora diretamente para o crescimento econômico do empreendimento.
Outro setor que vem crescendo em Divinópolis é o da eqüinocultura. A criação de porcos tem garantido bons lucros aos investidores, como reforça Paulo Marius. Um dos poucos fatores que ainda prejudica a evolução desta cultura é a mão de obra que ainda é baixa na região.
Atualmente o país conta também com poucos técnicos para atender a demanda de consulta à essas culturas agrícolas e de animais. Já existem pedidos por parte dos agricultores e criadores de animais para que se fizesse um concurso que direcionasse mais especialistas. Duas entidades têm dado suporte às necessidades destes produtores, a EMATER e Associação dos Produtores Rurais da Agricultura Familiar.
A carência de fiscais e técnicos que possam dar suporte ao produtor e criador nacional, ainda é um dos grandes problemas enfrentados e que influi diretamente no desenvolvimento do agronegócio do país, finaliza Paulo.

 

Agronegócio a nível estadual

 

O estado de Minas Gerais termina 2012 com um crescimento expressivo na renda agrícola e aumento da sua participação no PIB do agronegócio brasileiro, que deverá chegar a 13,4%, de acordo com os estudos do Centro Avançado em Economia Aplicada (Cepea).
Esta é a maior participação já registrada na última década. Em 2003, Minas participava com 9% na composição do PIB do agronegócio brasileiro Em 2012, o valor do PIB do agronegócio mineiro deve atingir R$ 130 bilhões.
Os dados da Fundação João Pinheiro também confirmam que o setor agropecuário se destacou no cenário nacional, crescendo mais que a média brasileira. De janeiro a setembro deste ano, o PIB agropecuário mineiro cresceu 5,7%, enquanto o nacional sofreu queda de 1%. Como Minas tem uma produção agrícola diversificada, o estado não sentiu os impactos com a redução de safra ou valor de alguns produtos.
O Valor Bruto da Produção agrícola de Minas Gerais em 2012 deve alcançar R$ 26,2 bilhões. Um aumento de 11,4% em relação ao ano passado. É o maior valor já registrado no Estado.
O VBP contempla a renda obtida pelo produtor com a comercialização das 20 principais culturas agrícolas do país. Em Minas, apenas o café teve um desempenho inferior ao do ano passado, apesar da safra recorde.
Em relação à produção de grãos, a safra mineira alcançou, em 2012, 12,2 milhões de toneladas. Esta quantidade é considerada recorde e 14,2% maior que o registrado no ano passado. Em 2013, a produção mineira deve manter praticamente o mesmo volume obtido neste ano.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.