terça-feira, 9 de Abril de 2013 05:32h Atualizado em 9 de Abril de 2013 às 05:34h. Daniel Michelini

Água sanitária é disponibilizada para utilização no combate à dengue

68 mil litros serão repassados à Superintendência Regional de Saúde ao longo do ano.

Visando dar prosseguimento ao programa de prevenção e combate à dengue, a Superintendência Regional de Saúde, com sede em Divinópolis, recebeu do estado, na última sexta-feira (05), aproximadamente 23 mil litros de água sanitária que serão distribuídos em 22 municípios da macrorregião atendidos pelo órgão. Além destes, mais 45 mil litros do produto deverão ser repassados à Superintendência para que a distribuição continue.
Divinópolis vive um ano de incertezas quanto à dengue. Ao mesmo tempo em que as autoridades se mostram confiantes em relação aos programas de combate, há o receio de que a epidemia atual supere, em números, a de 2010, quando mais de 5.000 casos foram confirmados ao final daquele ano.
Segundo a coordenadora da vigilância epidemiológica da Superintendência, Suzana Ximenes, a água sanitária vem para complementar o trabalho de prevenção e combate à dengue: “Ela não é suficiente, apenas ela, não irá adiantar. Ela será distribuída para 22 municípios que a superintendência regional de Saúde atende”, disse a coordenadora, destacando que os critérios de escolha destes municípios são a alta transmissão do vírus, e municípios menores: “Pudemos observar que as cidades menores possuem mais dificuldades no combate e necessitam de mais incentivos para organizar os serviços de controle e combate”, ressalta.
Ainda de acordo com Suzana, o problema da dengue não é registrado somente em Divinópolis: “O país inteiro passa por uma crise em relação aos altos números de casos de dengue. Assim, é sugerido um maior incentivo e investimento na área para que possamos dar continuidade aos trabalhos”. Dentre esses investimentos, Suzana Ximenes destaca a aquisição de água sanitária, que está complementando os serviços: “A limpeza das casas, o cidadão ter o cuidado de tirar a água parada e retirar os focos, aliado ao trabalho feito pelo serviço público, faz com que o trabalho fique mais completo”.
Os produtos foram disponibilizados pelo estado e, para a macrorregião serão entregues 68 mil litros de água sanitária. O produto será distribuído de acordo com a população de cada município e também de acordo com o número de notificações: “Estes são os chamados critérios epidemiológicos”, explica a coordenadora da vigilância epidemiológica.
CONSCIENIZAÇÃO
Os frascos de água sanitária não serão repassados aos agentes de saúde para o combate feito por estes profissionais. Eles serão distribuídos para os cidadãos da cidade: “O município é que irá se organizar quanto à distribuição. Isso ficará á cargo das secretarias municipais de Saúde. Nós fazemos apenas a distribuição às cidades. Cada município se organiza da melhor forma possível”, afirma Suzana Ximenes.
Ela destaca ainda a eficiência do projeto, já que todo frasco de água sanitária terá anexada uma orientação de como e onde utilizar de maneira certa o produto. Ximenes afirma que esta não será a última ação feita pela Superintendência: “Existem as ações de rotina em que estamos sempre atuando. Houve a contratação de agentes do controle de endemia, além do carro fumacê e distribuição do teste rápido em dois municípios da nossa macrorregião: Divinópolis e Bom Despacho, que foi um projeto piloto no estado”.
Além disso, a SRS tem aumentado a demanda de trabalho. A dengue está sendo tratada como prioridade e os profissionais estão auxiliando os municípios, atendendo-os da melhor maneira possível, com monitoramento e auxílio: “Temos uma equipe muito eficiente e experiente. Têm profissionais que estão trabalhando na Superintendência há 30 anos”.
Para finalizar, Suzana afirma que o trabalho de controle precisa ser contínuo, e não ser feito apenas durante uma epidemia: “As nossas supervisões e capacitações acontecem ao longo do ano, sem período específico”.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.