segunda-feira, 9 de Maio de 2011 11:35h Ag?ncia Minas

Alberto Pinto Coelho defende estadualização das BRs

O governador em exercício Alberto Pinto Coelho defendeu a estadualização das rodovias federais, durante solenidade comemorativa dos 70 anos da Justiça do Trabalho e da instalação do TRT de Minas Gerais, em sessão solene no Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região - Minas Gerais (TRT-MG), nesta sexta-feira (6). Alberto Pinto Coelho afirmou, em entrevista, que a transferência para os estados, da responsabilidade pela malha rodoviária federal, garantirá uma melhor gestão das estradas.

 

“Vivemos em uma federação e não podemos mais assistir a uma concentração de arrecadação e de responsabilidades no governo federal. Precisamos ter isso de maneira equilibrada entre os entes federados, entre a União, estados e municípios. Temos aqui a nossa malha rodoviária estadual muito bem cuidada, restaurada, com uma expansão muito grande e que demonstra que o gerenciamento, na realidade, está muito mais próximo dos estados e dos municípios. Portanto, nada mais adequado do que fazer uma descentralização da responsabilidade da malha rodoviária”, afirmou o governador em exercício.

 

Minas Gerais tem 8.863 quilômetros de rodovias federais, que representam 26% da malha total no país e que estão sob a responsabilidade direta do Ministério dos Transportes. Em razão disso, o Governo de Minas, assim como os demais estados da federação, não podem realizar obras de recuperação, recapeamento e modernização nas BRs.

 

Comenda

Durante a solenidade no TRT, o governador em exercício acompanhou a entrega da Comenda Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho e do Diploma “Entes públicos que vão além do dever legal”. Também estiveram presentes o presidente do TRT da 3ª Região, desembargador Eduardo Augusto Lobato, e a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia Antunes Rocha.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.