terça-feira, 26 de Janeiro de 2016 12:44h ALMG

ALMG organiza evento pelo Dia da Mulher

Ciclo de Debates Mulheres Contra a Violência será nos dias 2 e 3 de março e vai abordar múltiplos olhares sobre o tema

Ciclo de Debates Mulheres contra a Violência: Autonomia, Reconhecimento e Participação. Este será o nome do evento que vai marcar o Dia Internacional da Mulher na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), conforme decidido nesta terça-feira (26/1/16), durante a quarta reunião preparatória do evento.

Organizado pela ALMG em conjunto com entidades e instituições ligadas ao movimento de defesa dos direitos das mulheres, o evento será realizado nos dias 2 e 3 de março, no Plenário.

Foram definidos ainda os objetivos do ciclo (abaixo) e a minuta da programação, que vai abordar o homicído de mulheres no Brasil e múltiplos olhares sobre as violências contra as mulheres. Já a dinâmica dos debates, que terá um formato diferente para possibilitar a maior participação do público, deve ser definida na próxima reunião preparatória, marcada para a próxima terça-feira (2/2/16), às 10 horas. Até lá, a proposta é que uma subcomissão, criada a partir de sugestão acatada nesta terça (26), discuta a dinâmica, que será definida por toda a comissão organizadora no próximo encontro.

Participaram da reunião as deputadas Rosângela Reis (Pros), presidente da Comissão Extraordinária das Mulheres, e Marília Campos (PT), além de assessores de gabinetes e servidores de várias áreas da ALMG. A reunião preparatória também contou com a participação de representantes de secretarias estaduais, da Defensoria Pública, da Rede Estadual de Enfrentamento de Violência contra a Mulher, da Federação dos Trabalhadores na Agricultura, da Delegacia Especializada de Mulheres, do Fórum de Mulheres do Mercosul no Brasil e do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, entre outros.

 

 

Objetivos do ciclo:

Analisar o Mapa da Violência 2015, que traz dados relativos aos homicídios de mulheres no Brasil, em série histórica, e as suas variações por território, cor/raça e faixa etária, além de informações sobre o atendimento às vítimas de violência, com base nos dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde (Sinan) e da Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE.

 


Debater as diversas situações de violência contra as mulheres, motivadas por questões relativas à raça, à orientação sexual, à faixa etária, à situação de privação de liberdade, entre outras.

 


Refletir sobre os avanços obtidos nas políticas de prevenção e de proteção contra as violências de gênero, tendo em vista os 10 anos da Lei Federal 11.340, de 2006 – Lei Maria da Penha.

 


Resgatar o significado do Dia Internacional da Mulher como uma data de luta contra as violências de gênero e pela construção da paridade política; neste último caso, em linha de continuidade dos esforços para remover os entraves encontrados pelas mulheres para participação na política institucional e em instâncias decisórias e de representação.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.