sexta-feira, 11 de Outubro de 2013 13:13h

Alunos da rede estadual de ensino revivem história de Fernando Sabino a partir da arte

No ano em que o escritor mineiro completaria 90 anos, estudantes da Escola Estadual Afonso Pena preparam uma homenagem para o ex-aluno da instituição

Em 2013, um dos maiores escritores brasileiros, o mineiro Fernando Sabino, completaria 90 anos. Para comemorar, o Circuito Cultural Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, prepara exposições em todos os museus. A Escola Estadual Afonso Pena, localizada na avenida João Pinheiro, próximo à praça, faz parte dessas comemorações. A localização da escola não é o único motivo para seu envolvimento. O autor de clássicos como “O Encontro Marcado’ e “O Homem Nu” estudou na instituição na década de 30 e a Praça da Liberdade, onde será relembrada sua história e obra, era por onde ele passava para ir às aulas.

Para Bernardo Sabino, filho do escritor que idealizou e dirige o projeto “Encontro Marcado com Fernando Sabino”, que homenageia seu pai, é natural a escola fazer parte disso. “Meu pai estudou lá e o colégio está bem no meio do circuito cultural”, afirma um dos sete filhos de Fernando Sabino.

Como parte do projeto que leva o escritor para a praça onde cresceu e onde hoje há uma estátua sua com os amigos Hélio Pellegrino, Otto Lara Resende e Paulo Mendes Campos, aproximadamente 40 estudantes vão ser atores em uma montagem, que será apresentada na própria praça neste sábado (12). Os estudantes foram treinados e as peças escritas e dirigidas pelos atores Raysner d’ Paula e Gil Bertho Lopes. A apresentação de amanhã será uma esquete que homenageará o escritor, parte de uma programação maior que comemora o dia em que ele completaria 90 anos.

Essa não é a primeira apresentação dos alunos, mas é a primeira aberta ao público. Na semana passada, uma peça feita a partir do estudo da obra de Fernando Sabino foi apresentada aos convidados que participaram da abertura da exposição “A Vitória da Infância”, na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa. Dessa vez, a proposta é diferente. Serão esquetes apresentadas não em um palco, mas na rua, junto com o público.

Pedro Henrique Fernandes Viana, que cursa o 9º ano na Escola Estadual Afonso Pena e participa do projeto, está empolgado com essas apresentações. “Estou nervoso, a gente sempre fica nervoso, mas tenho facilidade de falar em público, então isso não será um problema. Quero muito que chegue o momento da apresentação, estou ansioso”, afirma.

Pedro acredita que a apresentação deste sábado será melhor que a realizada na abertura da exposição na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa. “É mais legal se aproximar e interagir com o público, tanto para nós quanto para eles, que sentem que participam do teatro”, ressalta.

Preparação

Os ensaios já estão sendo feitos há quase cinco meses, duas vezes por semana fora do horário das aulas. Nesse período os jovens, que têm entre 12 e 15 anos, tiveram a oportunidade de ter aulas de teatro com atores profissionais. “Eles vieram na escola, falaram que ia haver um teatro e que quem estivesse interessado deveria os procurar, e eu me interessei. Gostei muito, pudemos aprender mais sobre teatro”, conta a aluna do 7º ano, Maria Eduarda Batista Costa, uma dos estudantes que vai se apresentar.

A estudante de 13 anos ainda não conhecia Fernando Sabino. Quando os ensaios se iniciaram, foi pedido para que ela e os outros jovens que tinha interesse em participar do projeto lessem obras do autor. Ela e sua colega Nayara Fernandes da Silva, também do 7º ano, gostaram dos livros. “Li O ‘Grande Mentecapto’. Gostei muito de aprender mais sobre o trabalho de Fernando Sabino”, conta Nayara.

O treinamento para chegar às montagem envolveu jogos teatrais, improvisação, treinamento de concentração, interação e entrosamento entre os participantes, um treinamento para liberar a criatividade. Além disso, ainda houve estudo e exercícios livres com base nos textos de Fernando Sabino.

Pedro Henrique Fernandes Viana gostou de ter aprendido teatro com atores profissionais. “O conhecimento que eles nos passaram foi muito gratificante. Eu já tinha feito teatro na escola e estou melhor agora, mas, como os professores dizem, sempre temos algo para melhorar. Todos os alunos gostaram e querem continuar a fazer teatro”, afirma Pedro.

Mais apresentações

Além da apresentação do dia 12, na Praça da Liberdade, os estudantes se apresentarão no dia 9 de novembro, na Mostra Cultural da Escola Estadual Afonso Pena. Nesse dia, além do teatro, haverá exposição de trabalhos dos demais alunos da escola, tudo voltado para as obras de seu famoso ex-aluno. No dia 11 de novembro, eles voltam a mostrar o que aprenderam nas aulas de teatro. No Museu Mineiro, às 10h.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.