quinta-feira, 7 de Novembro de 2013 11:56h

Anastasia participa de entrega da Medalha da Ordem do Mérito Legislativo

Governador de Minas foi o orador oficial da solenidade, que agraciou 240 personalidades com a comenda

O governador Antonio Anastasia foi o orador oficial da cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Legislativo de 2013, que, neste ano, prestou homenagem aos 70 anos do Conjunto Arquitetônico da Pampulha. Criada em abril de 1982, a Ordem do Mérito Legislativo é concedida nos graus Grande Mérito, Mérito Especial e Mérito. Neste ano, 240 pessoas foram indicadas para receber a comenda.

Antonio Anastasia agradeceu à Assembleia Legislativa pelo convite e afirmou que a homenagem aos agraciados é muito merecida. “É um reconhecimento que se faz a personalidades que tem contribuído em toda Minas Gerais às suas diversas atividades. São empresários, professores, sindicalistas, pessoas de várias categorias que estão recebendo aqui do Legislativo mineiro o reconhecimento, especialmente, por indicação dos deputados, que conhecem, nas suas regiões, nas suas cidades, as pessoas que têm então um trabalho social, cultural, empresarial, político, que merecem esse reconhecimento. Então, nosso aplauso e eu agradeço muito à Assembleia o convite que me foi feito para ser orador oficial dessa cerimônia”, disse o governador.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, Dinis Pinheiro, o convite a Antonio Anastasia para ser o orador oficial do evento “simboliza o que Minas Gerais tem de melhor em suas raízes históricas: o do seu encontro com o mundo”. “A escolha do governador também é uma homenagem de gratidão àquele jovem professor de Direito, que tão bem colaborou, junto ao relator da Constituinte Mineira de 1989, deputado Bonifácio Mourão, e à então secretária da mesa, professora Maria Coeli Simões Pires, para dar forma jurídica às proposições parlamentares e às aspirações populares na elaboração da carta maior de Minas Gerais, e que completará, em 2014, seus 25 anos de vida constitucional”, disse Pinheiro, que também é presidente do Conselho da Ordem.

Pampulha

O Complexo Arquitetônico e Paisagístico da Pampulha, um dos principais símbolos de Belo Horizonte, completou 70 anos no dia 16 de maio deste ano. Com tombamento nas esferas municipal, estadual e federal, o cartão-postal aguarda análise para receber da Organização das Nações Unidas para a Educação (Unesco) o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. Inaugurado em 1943, o complexo foi encomendado pelo então prefeito da capital, Juscelino Kubitschek. A obra contou com os trabalhos de decoração de Cândido Portinari e Alfredo Ceschiatti, com o projeto paisagístico de Burle Marx e os traços de Oscar Niemeyer.

Assim como em outros bairros da cidade, a ocupação de parte da região é mais antiga que a própria cidade de Belo Horizonte. Na década de 1930, na gestão do prefeito Otacílio Negrão de Lima, começaram as obras de construção de uma barragem, formando uma represa que serviria de reservatório de água para o município. Assim, surgiu a Lagoa da Pampulha, que foi inaugurada em 1938. O Complexo Arquitetônico e Paisagístico da Pampulha recebe diariamente centenas de pessoas. É formado pelo Museu de Arte da Pampulha, antigo Edifício do Cassino, pela Casa do Baile, Igreja São Francisco de Assis e Iate Tênis Clube.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.