sexta-feira, 31 de Maio de 2013 07:23h Agencia Minas

Antonio Anastasia fala sobre os 40 anos do Hospital João XXIII e a ampliação da rede de urgência e emergência no estado

Esta edição do Palavra do Governador destaca projeto que começou no Norte de Minas, deu certo e agora está se expandindo para outras regiões do estado.

A saúde tem sido encarada como um dos grandes desafios que os governos precisam enfrentar com seriedade e eficiência. Em Minas Gerais, o Governo do Estado vem ampliando um dos projetos que considera como prioritário para o sistema público de saúde: a Rede de Urgência, que busca qualificar e humanizar a assistência à saúde e proporcionar à população atendimento hospitalar de qualidade.

 

A base do projeto da Secretaria de Estado de Saúde está na modelagem da rede ideal para atenção às urgências, seguindo a lógica da regionalização e adotando uma linguagem única nos pontos de atenção. O tema conduz o programa Palavra do Governador desta semana.

 

“Nós sabemos que a saúde é a maior preocupação dos brasileiros e dos mineiros porque cuida daquilo que é o mais importante para nós: a nossa vida. Portanto, a saúde sempre merece uma atenção muito especial dos governos. E o tema também tem um aspecto muito importante, que é exatamente a questão relativa ao atendimento de urgência e emergência. O assunto envolve fatos decorrentes, muitas vezes, de acidentes, crises imediatas, catástrofes, ou seja, de uma necessidade prematura e urgentíssima, dizem até, hemorrágica, de atendimento médico”, destaca Antonio Anastasia.

 

O governador explica como a rede de urgência tem sido desenhada em Minas, um dos maiores estados em extensão territorial do Brasil e o maior em número de municípios. “Nós temos uma estrutura que segue padrões internacionais. E esse padrão se dá através de uma grande rede, chamada Macro Rede de Urgência e Emergência. Fizemos isso de modo pioneiro e experimental no Norte do estado e deu muito certo. Já estendemos a ação ao Nordeste, na região do Mucuri, com sede em Teófilo Otoni, e agora também ao Centro-Sul do estado, com sede em Barbacena”, explica o governador.

 

Anastasia afirma que, aos poucos, toda Minas Gerais poderá contar com este atendimento, que se dá em parceria com o Governo Federal e os municípios por meio do Serviço Móvel de Urgência (Samu). O sistema busca realizar atendimento rápido às pessoas que precisam de atendimento de urgência. Ao mesmo tempo, uma rede de hospitais está preparada e aparelhada para receber pessoas que necessitam de atendimento imediato.

 

Para implantação da rede, juntas, as regiões Norte e Nordeste do Estado receberam investimentos de aproximadamente R$ 14 milhões, que resultaram no benefício de cerca 1,8 milhão de pessoas em 140 municípios. Na macrorregião Centro-Sul, os 730 mil habitantes de 50 municípios foram beneficiados com 22 ambulâncias do Samu, sendo 18 unidades de suporte básico e quatro de suporte avançado. Ao todo, 12 hospitais participam da rede de resposta às urgências e emergências.

 

Hospital de Referência

 

O governador Antonio Anastasia dá destaque especial para o Hospital Pronto-Socorro João XXIII, de Belo Horizonte, o maior do gênero do estado, que está completando 40 anos de existência. Pesquisa recente do Ministério da Saúde apontou o hospital como o melhor do país dentre todas as cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. A intenção da pesquisa foi avaliar a satisfação dos usuários com os serviços de saúde oferecidos por 11 hospitais de diferentes estados brasileiros. Entre os prontos-socorros públicos avaliados, o João XXIII foi o que obteve a melhor média: dos 17 critérios pesquisados, a unidade da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) teve a maior nota em 11.

 

“O Hospital João XXIII é um grande orgulho de todos os mineiros, um hospital referência, em que investimos muito nos últimos anos, cerca de R$ 51 milhões. A unidade é praticamente nova, foi toda reconstruída. Foi criado, inclusive, um heliporto para trazer mais emergências. Seu corpo clínico é de excepcional qualidade, e sua equipe, formada por servidores técnico-administrativos muito dedicados. De fato, é um hospital tão bom que os seus próprios usuários o elegeram o melhor. Eu mesmo tive a oportunidade, no último dia 21 de abril, de homenagear o hospital com a maior comenda de Minas, a Grande Medalha da Inconfidência, para dar o reconhecimento dos 20 milhões de mineiros a essa equipe extraordinária que administra e implementa o nosso João XXIII”, afirma o governador.

 

Apesar do sucesso e dos bons indicadores, o Governo do Estado reconhece que ainda há muito o que fazer. Segundo Anastasia, o trabalho, em articulação e parceria constantes com a sociedade, vai continuar em várias frentes, a fim de melhorar o atendimento e a qualidade do sistema público de saúde em todo o estado.

 

“A saúde, como eu sempre digo, é uma demanda infinita. Quanto mais trabalhamos, mais precisamos trabalhar. Os indicadores são bons. Em Minas Gerais, segundo o Ministério da Saúde, temos a quarta melhor rede de saúde pública do Brasil e a primeira do Sudeste. Em Minas, se vive mais do que em outros estados: somos o primeiro lugar em longevidade do Sudeste e o quarto do Brasil. Isso é muito positivo. Significa que há um grande esforço de toda a comunidade médica de nosso estado, um empenho do governo e das prefeituras, e fico muito satisfeito de ter esses bons resultados. Mas, sabemos, com muita franqueza, que ainda há a necessidade de melhorar muito na questão da saúde. E esse é o nosso esforço”, afirma o governador.

 

O Palavra do Governador pode ser reproduzido por qualquer veículo de imprensa, sem ônus. O programa é disponibilizado todas as quintas-feiras nas modalidades texto, áudio e vídeo (em qualidade HD).

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.