sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012 09:06h Atualizado em 10 de Fevereiro de 2012 às 10:15h.

Após apelo popular, vereadores mantêm veto de Márcio Lacerda ao reajuste salarial

Os vereadores de Belo Horizonte mantiveram, por 21 votos a 10, o veto do prefeito Marcio Lacerda ao reajuste salarial de 61,8% para vereadores. Cerca de 150 manifestantes, com cartazes e nariz de palhaço, acompanham a votação, que aconteceu de forma secreta.
O vereador Leonardo Mattos, o único que defendeu a derrubada do veto durante toda a sessão, questionou a quantidade de votos necessários, alegando que a Casa só tinha 39 vereadores presentes, já que Hugo Tomé (PMN) e Carlos Henrique (PRB) mais conhecido como Carlúcio estão afastados por decisão da Justiça. Mesmo assim, a procuradoria da Câmara Municipal de Belo Horizonte emitiu parecer favorável a regimentalidade dos 21 votos necessários para manutenção do veto.
Durante toda a sessão, os manifestantes gritaram palavras de ordem pedindo a manutenção do veto e não se calaram durante as falas dos vereadores na tribuna.
Comissão
Na semana passada, uma comissão especial que analisou o veto, liderada pela vereadora Elaine Matozinhos (PTB), deu seu parecer pela manutenção do veto. Porém, no documento, o relator Joel Moreira Filho afirmou que a orientação se dava pelo clamor popular e não pela inconstitucionalidade alegada pela prefeitura. No parecer, Joel foi claro: o projeto é constitucional, mas que esse era o momento de ouvir a população.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.