sexta-feira, 14 de Outubro de 2011 19:39h Atualizado em 15 de Outubro de 2011 às 09:38h. Flaviane Oliveira

Após fim da greve a entrega de correspondências será normalizada em quatro dias

Com a determinação do encerramento da greve dos Correios pelo Tribunal Superior do Trabalho, mais de quatro milhões de objetos postais simples ainda aguardam para serem distribuídos. A estimativa é de que em quatro dias todas as correspondências já esteja

As paralisações dos Correios chegaram ao fim em todo o país após um mês desde o início da greve. Na última terça feira (11), o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) levou a julgamento o dissídio da greve em sessão extraordinária e determinou que os carteiros voltassem ao trabalho na quinta-feira (13).Em Minas Gerais, de acordo com os Correios, as entregas serão normalizadas em quatro dias. No estado há mais de seis mil carteiros.

 

 

SITUAÇÃO


Com a volta dos servidores ao trabalho, os Correios divulgaram um balanço geral de como está a situação das correspondências na região e no estado. Em Minas Gerais cerca de quatro milhões de objetos postais simples ainda aguardam para serem distribuídos. Todas essas correspondências já passaram pela triagem e a maior parte delas é destinada a localidades da Região Metropolitana da capital mineira.


A assessoria de comunicação dos Correios destacou ainda que não há retenção de entregas como Sedex, malotes e as cartas registradas. Para que as entregas sejam normalizadas dentro do prazo de quatro dias que foi anunciado, a empresa tem adotado medidas como a compensação dos dias parados com trabalhos extraordinários por meio de jornada estendida e mutirões nos próximos finais de semana.


Além disso, funcionários de outras áreas, como da administração e atendimento, participarão de plantões para ajudar na separação das correspondências.

 

DIVINÓPOLIS


No município, durante toda a greve, a entrega das correspondências seguiu de forma praticamente inalterada. Apesar da cidade ter aderido à greve, o número de funcionários que paralisaram os serviços não foi expressivo e o serviço pouco foi prejudicado. Porém, como muitas correspondências vêem da capital mineira e da região metropolitana, locais onde as paralisações foram significativas, algumas correspondências chegaram com certo atraso nos destinos do município.

 

 

RELEMBRE


A greve foi iniciada em 24 estados ainda no início do mês de setembro. Inicialmente os trabalhadores reivindicaram aumento salarial de R$ 400, reajuste no vale-refeição, contratação de 21 mil trabalhadores em todo o país e pagamento de perdas salariais, além de outras propostas. Alguns funcionários aderiram à paralisação em Divinópolis no final de setembro, porém esse número foi pouco expressivo e as agências continuaram funcionando normalmente.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.