sábado, 16 de Julho de 2011 09:10h Luciano Eurides

Áreas de esporte de Divinópolis viram tema do governo estadual

Na manhã de ontem, dois representantes da diretoria de desenvolvimento de programas e projetos da Secretaria de Estadual de Esportes e Juventude, o diretor Antônio Eduardo e o arquiteto Sérgio Luís Marques, estiveram na Fundação Educacional de Divinópolis – Universidade Estadual de Minas Gerais (Funedi-Uemg) com o objetivo de conhecer a metodologia utilizada na elaboração do diagnóstico das áreas de esporte de Divinópolis. A ideia é conhecer como ele foi feito, as condições atuais de uso das áreas de lazer e a possibilidade de inserção dele em um manual a ser criado para todo o estado e Divinópolis faria parte de um plano piloto.


O Diagnóstico, feito pelo Gabinete do deputado estadual Fabiano Tolentino juntamente com a Funedi-Uemg foi apresentado em uma audiência pública e entregue à comissão de esportes da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, segundo o coordenador,  educador físico e assessor parlamentar Cristian Eduardo de Souza, ele ainda está em aperfeiçoamento, mas é possível sim ser implantado em nível estadual. “Essa foi uma ideia do deputado estadual Fabiano Tolentino, usado para ter uma real situação de Divinópolis. Dentro disso criamos esse projeto que foi válido. Esperamos ser ele aproveitado não só em Divinópolis, mas para todo o estado. Mostramos como foi criado o projeto. Ele vem melhorando, temos 90% da cidade, deveremos fazer de toda a região centro-oeste e sempre que pudermos vamos melhorando”, falou.


O reitor da Funedi-Uemg, professor Gílson Soares, ressaltou a importância de se identificar os pontos e ir além, resgatando a história de cada um. Ele deu como exemplo, o início de um trabalho junto ao Divinópolis Tênis Clube (DTC), lá foi feito o levantamento histórico do Clube e ressaltou ser o diagnóstico um provocador. “Um levantamento desses nos provoca a aprofundar  um futuro. Da mesma maneira que trabalhamos o DTC queremos trabalhar outras áreas de lazer. Eu vi uns campos de futebol da zona rural com a história perdida, Foi uma provocação à academia e vamos aprofundar. Está sendo muito importante para nós o envolvimento nesse projeto” , considerou.
O arquiteto Sérgio Luís Marques, da Secretaria de Esportes e Juventude destacou a elaboração de um manual e nele o diagnóstico das áreas como passo de partida, explicou que Divinópolis tem o método de como se fazer. “O grande objetivo é a promoção da cidadania. Vimos que o esporte pode de inúmeras maneiras influenciar no desenvolvimento humano. Na nossa diretoria trabalhamos muito com infraestrutura e recebemos muitos projetos não sustentáveis. Estamos preocupados com o que a sociedade quer e o que nós entregamos a ela. Assim faremos um manual de infraestrutura esportiva. Teremos nela essa questão de diagnóstico e outras etapas. A prioridade é o esporte educacional. Esse diagnóstico irá nos ajudar a fazer esse levantamento e estamos aqui para conhecer melhor como foi feito para colocarmos no manual e ser aplicado no estado inteiro”, explicou.


O secretário Municipal de Esportes e Lazer, Rômulo Augusto Duarte deixou claro que a falta de infraestrutura é um problema a ser enfrentado pelas administrações municipais. “Acho fundamental e ele interage o município com o estado, temos conhecimento real da nossas necessidades. Isso faz Divinópolis dar um passo a frente. Sabemos ter sido um trabalho bem aceito, podendo virar um projeto piloto e ficamos satisfeitos. Estamos no caminho com as reformas do Poliesportivo e Centro Social Urbano (CSU), o terreno para o Divinópolis Esporte Clube (DEC), o campo do Icaraí que estamos construindo e com o reforço do parlamentar, da Funedi e investimento do estado conseguiremos mudar o atual cenário”, destacou.


 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.