terça-feira, 20 de Outubro de 2015 10:59h

Arranjos produtivos de diferentes segmentos recebem apoio da Codevasf em Minas

A realização de três grandes eventos ligados a atividades de Arranjos Produtivos Locais (APLs), no mês de outubro, nos municípios de Montes Claros, Morada Nova de Minas e Brasilândia de Minas

A realização de três grandes eventos ligados a atividades de Arranjos Produtivos Locais (APLs), no mês de outubro, nos municípios de Montes Claros, Morada Nova de Minas e Brasilândia de Minas, demonstram que a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) não tem poupado esforços para cumprir sua missão de promover o desenvolvimento integrado e sustentável do vale sanfranciscano em Minas Gerais. Em apenas uma semana, técnicos da empresa e de outras instituições públicas e privadas que dão suporte logístico aos Arranjos reuniram-se com centenas de pequenos produtores rurais durante o 12º Seminário de Apicultura do Norte de Minas; a 13ª Festa do Peixe de Morada Nova de Minas e o 47º Leilão de Gado de Brasilândia de Minas, proferindo palestras e discutindo a atual situação de cada segmento.

O primeiro encontro foi realizado com os apicultores norte mineiros, no dia 8, em Montes Claros, com a presença de mais de 400 pequenos produtores rurais. Com incentivo técnico e financeiro do Governo Federal, por intermédio da Codevasf, a apicultura no vale do São Francisco mineiro vem se apresentando como uma importante alternativa de renda familiar, principalmente na região semiárida. Mesmo com o período de quatro anos de intensa seca e consequente queda da produtividade, a atividade tem dado bom retorno financeiro para os produtores – hoje, aproximadamente 95% dependem da renda gerada pela apicultura.

Para o engenheiro agrônomo Fernando Britto, superintendente em exercício da Codevasf em Minas, os resultados da apicultura na região chegam a ultrapassar as expectativas da equipe técnica da empresa. Britto explica que nos últimos 12 anos foram investidos cerca de R$ 5 milhões, que beneficiaram produtores de 30 municípios. Hoje, segundo o dirigente, a produção de 800 toneladas de mel por ano gera renda bruta anual de R$ 8 milhões para aproximadamente 800 famílias de pequenos produtores rurais. Relatório técnico da Companhia demonstra que a região vem se transformando numa das principais produtoras de mel do Estado e deixa a expectativa de que muito em breve será referência em todo o país.

No dia 10, foi a vez da 13ª Festa do Peixe de Morada Nova de Minas reunir centenas de piscicultores com encontros técnicos e comerciais em torno do agronegócio. Depois de implantado pela Codevasf ao longo da última década, ele permitiu a criação de sete associações comunitárias e três cooperativas, sendo duas de produção e uma central, que congregam 169 piscicultores em 74 projetos de piscicultura. Hoje são mais de 6.000 tanques-rede em operação, que produzem em torno de 7.400 toneladas de pescado por ano.

De acordo com o chefe da Unidade de Desenvolvimento Territorial da Codevasf em Minas Gerais, o engenheiro agrônomo Alex Demier, toda essa produção rende mais de R$ 40 milhões por ano a produtores de oito municípios localizados no entorno do lago de Três Marias – a produção mantém aproximadamente 500 empregos diretos e mais de 1.700 indiretos, já que a atividade levou para a região empresas fabricantes de insumos e equipamentos ligados à piscicultura.

O 47º Leilão de Gado de Brasilândia de Minas e Convidados, realizado no último dia 10, foi mais um grande evento do agronegócio promovido pela Codevasf no âmbito do Arranjo Produtivo Local da Bovinocultura. Esse leilão, que repassou a pecuaristas mineiros 196 reses, deu continuidade a uma das primeiras ações de desenvolvimento sustentável implementadas pela Codevasf no vale do rio São Francisco, há mais de 40 anos. Nesse período, a Companhia repassou mais de oito mil reprodutores e matrizes de alta linhagem da raça nelore PO a pecuaristas mineiros, buscando melhorar a qualidade genética do rebanho bovino do vale do São Francisco. Segundo técnicos da Codevasf, esse trabalho é feito não só por intermédio de leilões públicos, como o ocorrido na última semana, mas também por doações de reprodutores a associações comunitárias formadas por pequenos produtores rurais. O Programa de Apoio aos Pequenos Pecuaristas, no segmento do APL, já atendeu mais de 250 produtores em dezenas de municípios mineiros, principalmente na região semiárida.

Segundo Fernando Britto, todas essas ações promovidas pela Codevasf vem ao encontro das ações de desenvolvimento regional propostas e executadas no vale do rio São Francisco pela Companhia. “Estamos cientes da nossa responsabilidade com o desenvolvimento sustentável do vale do rio São Francisco e não poupamos esforços na implementação de ações que melhorem a condição de vida desses produtores rurais”, enfatizou o dirigente da Codevasf em Minas Gerais.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.