quinta-feira, 2 de Agosto de 2012 15:52h Gazeta do Oeste

Árvore sobe pelas paredes de imóvel público em Belo Horizonte

Um casarão abandonado da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig), localizado na rua Manaus, 348, no Santa Efigênia, região Leste de Belo Horizonte, virou esconderijo de ratos, baratas e escorpiões. Mas é uma árvore da espécie mirindiba, popularmente conhecida como gameleira, que chama a atenção de quem passa pelo local. Ela cresceu na parede do prédio, que está fechado desde 1980.

O casarão, construído no início do século 20, já abrigou enfermarias do Hospital Militar, na década de 30, mas agora ameaça desabar. As raízes da árvore já estão comprometendo a estrutura do imóvel. Elas já provocaram rachaduras nas paredes laterais do prédio.

No telhado, uma outra muda da mesma espécie está brotando. Ao lado do imóvel funciona uma instituição da Fhemig que atende crianças portadoras de problemas psiquiátricos. O terreno do casarão fica nos fundos da Igreja de Santa Efigênia.

A Regional Centro-Sul informou que ainda nesta semana vai enviar uma equipe de fiscalização no local para verificar se a árvore está comprometendo a segurança do casarão. Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, em julho do ano passado foi realizada a poda de duas árvores que ficavam em frente ao imóvel.

“É uma pena ver um casarão, que poderia ser reformado, correndo risco de desabar”, reclamou a dona de casa Violeta Paixão, de 62 anos, que há 30 mora em frente ao imóvel. Segundo ela, ratos e escorpiões saem do imóvel e são uma ameaça para toda a vizinhança.

A Fhemig informou que vai mandar uma equipe de engenheiros ao casarão para avaliar as condições e tomar providências.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.