quinta-feira, 10 de Maio de 2012 13:51h Marina de Morais

Assessor Especial de Governo explica sobre reunião com estudantes sobre meio passe

Na última terça-feira, 8, estudantes universitários realizaram um protesto na porta na Prefeitura Municipal de Divinópolis, na Rua Pernambuco, por volta das 15h. Os manifestantes utilizaram cartazes, narizes de palhaço, apitos, entre outros objetos durante o protesto. Por volta das 17h, os estudantes seguiram em sentido à Avenida 1° de Junho com Rua Goiás e paralisando o trânsito na região.
Durante a manifestação houve uma reunião entre representantes estudantis e poder público municipal. João Luís de Oliveira, assessor especial de governo da Prefeitura Municipal de Divinópolis foi um dos participantes da reunião. Ele disse que houve a reivindicação em prol do meio passe em várias cidades do país. O assessor comenta que os custos já estão sendo analisados pela prefeitura. Segundo ele, a prefeitura também está fazendo um levantamento de estudantes que utilizam o transporte público, de todas as universidades e faculdades da cidade, além de estudantes secundários. “Nós analisaremos quem merece o meio passe e quem pode receber”, reitera.
O assessor diz que a proposta será analisada de forma com que caiba no orçamento da cidade e que não cause impacto financeiro. Ele ainda comenta que o meio passe não entrou no edital de licitação do transporte público da cidade para que não fosse provocado qualquer impacto no valor da tarifa.

O protesto

A manifestação, de acordo com os estudantes, foi iniciada através do site de relacionamentos sociais Facebook. Cerca de 242 pessoas confirmaram presença na manifestação.
Durante a manifestação estudantes informaram que no ano passado houve uma reunião entre o reitor da Universidade Federal de ao João del-Rei (UFSJ), Campu Dona Lindu, o prefeito Vladimir Azevedo, um representante da Secretaria de Trânsito e Transportes (Settrans) e presidentes dos Centros Acadêmicos (CA) dos cursos da universidade. Segundo eles, durante a reunião houve a proposta do meio passe para os estudantes e que ela seria um dos critérios para a empresa que ficasse responsável pelo transporte público municipal, a partir da licitação publicada sobre o serviço. Entretanto, os estudantes afirmaram que a licitação não previa o meio passe.
Durante o protesto, Pedro Gontijo, universitário, contou à Redação que após a publicação da licitação de transporte público, o prefeito prometeu que abriria um processo paralelo para o meio passe. “Mas nada garante que isso vai ser feito. A gente quer mostrar que nós estamos aqui, que nós somos estudantes. A gente quer dar ciência que estamos preocupados com o nosso futuro”, finalizou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.