sexta-feira, 6 de Fevereiro de 2015 10:23h Atualizado em 6 de Fevereiro de 2015 às 10:32h. Lorena Silva

Associação de Avicultores planeja ações para evitar mortandade de aves

Após prejuízo em São Sebastião do Oeste, Associação cogita aquisição de geradores pelos avicultores para evitar problemas com quedas de energia

Depois do prejuízo causado pela mortandade de cerca de 15 mil aves em São Sebastião do Oeste, a Associação dos Avicultores de Minas Gerais (Avimig) planeja ações para evitar que a situação ocorra novamente. As mortes ocorreram em decorrência de duas quedas de energia, registradas no último mês, com um prejuízo estimado pelos avicultores da região em R$ 120 mil.
As interrupções de energia elétrica ocorreram nos dias 21 e 26 de janeiro e ocasionaram o desligamento de todo o sistema de resfriamento dos aviários, causando um superaquecimento nas granjas. O presidente da Associação, Antônio Carlos Vasconcelos Costa, acredita que a crise energética instalada no Brasil pode afetar o desenvolvimento da avicultura mineira.
Segundo ele, esse setor depende muito da eletricidade para manter a climatização nos aviários, evitando a morte de aves em larga escola, como as registradas em janeiro. Segundo Antônio, a Avimig planeja ações emergenciais para minimizar o impacto de apagões no Estado, como a aquisição de geradores, cujo investimento é de R$ 70 mil.
“Porém, o custo elevado da tecnologia limita o acesso dos avicultores ao produto. Neste sentido, a associação negociará junto a instituições bancárias a criação de uma linha de crédito para que a estruturação emergencial via geradores possa ser feita nas granjas, uma vez que a maioria dos aviários instalados no Estado não contam com geradores e dependem exclusivamente da energia elétrica, para manter a climatização no ambiente", comentou o presidente em matéria divulgada por uma empresa do setor.
Em paralelo, a Avimig desenvolve uma parceria com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), que consiste em um trabalho de precaução em relação ao abastecimento de energia elétrica por parte da concessionária. “Solicitamos à Cemig que avise com antecedência quando houver desligamento da energia, para manutenções na rede. A medida permite que os avicultores planejem ações para evitar a morte das aves pelo calor, como aconteceu recentemente na região”, explicou Antônio.

 

SUBESTAÇÃO
Avicultores da região Centro-Oeste também acreditam que a instalação de uma subestação da Cemig em São Sebastião do Oeste seria uma possível solução, pois garantiria a estabilidade do sistema de transmissão de energia e diminuiria o problema de abastecimento de energia nas granjas. Segundo dados da Associação dos Avicultores do Centro-Oeste de Minas (Avicom), atualmente a entidade conta com 140 associados, responsáveis por 200 galpões com produção mensal de 6,5 milhões de frangos – sendo a principal atividade econômica desenvolvida na região onde a associação atua.

 

CEMIG
Em nota, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) esclareceu que o fornecimento de energia elétrica aos municípios de São Sebastião do Oeste e Itapecerica – onde se localizam diversas granjas – foi comprometido no dia 26 de janeiro pelo temporal que atingiu a região Centro-Oeste de Minas. Além de 18 mm de chuva no intervalo de uma hora, a Cemig registrou a ocorrência de ventos de até 70 km/h e mais de cem descargas atmosféricas sobre as cidades.
Segundo a empresa, ela foi contatada no início da tarde, após a queda de um eucalipto sobre a rede de distribuição de energia, e deslocou equipes imediatamente para iniciarem a manutenção do sistema elétrico. “Além da remoção da árvore, os técnicos trabalharam até à noite na conexão de cabos partidos e no reparo de equipamentos danificados por raios”, explicou a nota. O fornecimento de energia foi totalmente restabelecido às 22h10.
“A Cemig lamenta os prejuízos contabilizados pelos seus clientes, e ressalta que vai avaliar individualmente cada reclamação encaminhada à Empresa através dos canais de atendimento. Além disso, a Concessionária lembra que está investindo R$ 1,5 milhão em obras de ampliação da rede trifásica – previstas para serem concluídas no início do próximo mês – para garantir a estabilidade do sistema na região”, finalizou.

 

Crédito: Divulgação

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.