Atletas do Oficina de Esportes conquistam medalhas nos Jogos Para-Sulamericanos

Mineiros de Uberlândia representaram a seleção brasileira de halterofilismo. Na competição, disputada no Chile, o Brasil ficou em segundo lugar geral.

Quatro atletas do Programa Minas Olímpica Oficina de Esportes, de Uberlândia, retornaram dos Jogos Para-Sulamericanos, realizados no Chile, com bons resultados na bagagem. O grupo, integrado pelos esportistas Amanda Sousa, André Luiz, Mateus Assis, Rafael Vansolin e o técnico Wéverton Lima, representou a seleção brasileira de halterofilismo na competição.

Amanda foi a responsável pelo primeiro ouro brasileiro em Santiago, levantando 74 kg. No halterofilismo há quatro anos, ela praticava natação por recomendação médica devido à paralisia cerebral que afeta seus membros inferiores. Ao ser convidada para conhecer o halterofilismo, Amanda se identificou com o esporte e o abraçou. “Trabalho muito forte todos os dias. Recebi esta oportunidade de integrar a seleção de jovens e só quero melhorar os meus resultados daqui para frente”, disse, emocionada, a jovem de 22 anos.

Quem também conquistou medalha foi Mateus Assis, que ficou com o bronze na categoria até 97 kg. André Luiz esteve perto do pódio, mas ficou com a quarta colocação na categoria até 59 kg.  Rafael Vansolin obteve o sétimo lugar na disputa de sua categoria.

O Brasil encerrou sua participação no torneio sul-americano, na última semana, com 104 medalhas, sendo 47 de ouro. O resultado colocou o país na segunda colocação do quadro geral de medalhas, atrás apenas da Argentina, que somou 112 conquistas.

Mundial de Halterofilismo

Na volta do Para-Sulamericano, os mineiros não terão descanso. Mateus Assis, Rafael Vansolin, Rodrigo Marques, que não esteve no Chile, e Wéverton Lima viajam nesta terça-feira (01/04) para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, onde, de 5 a 11 de abril, vão participar do Campeonato Mundial de Halterofilismo, também representando o Brasil.

A competição é realizada a cada quatro anos. A última edição foi em Kuala Lumpur, na Malásia, em 2010. Em Dubai, serão cerca de 600 atletas de mais de 60 países. Em Mundiais da modalidade, nenhum brasileiro subiu ao pódio.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.