quarta-feira, 6 de Julho de 2016 17:03h Agência Minas

BDMG estimula desenvolvimento em municípios mineiros com baixo IDHM

​Nova linha de crédito oferece taxas mais baratas que os bancos tradicionais. Objetivo é de reduzir as disparidades regionais

Afinado com a estratégia do Governo de Minas Gerais de reduzir as desigualdades sociais e econômicas no estado, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) lançou, no fim do mês passado, o Geraminas Social. Trata-se de uma linha de crédito voltada para financiamento de micro e pequenas empresas, instaladas em cidades cujo Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) é menor ou igual a 0,667 - a média do estado. O objetivo é exatamente fortalecer a economia destes municípios, garantindo que as micro e pequenas empresas, responsáveis pela geração de renda e empregos nestas localidades, mantenham a saúde financeira.

Para requerem os recursos, as empresas também precisam ter faturamento anual de até R$ 30 milhões e comprovar mais de seis meses de atividade. De acordo com levantamento do BDMG, mais de 60 mil empresas, notadamente no setor de comércio e serviços, em mais de 400 cidades, se encaixam neste perfil e podem ter acesso à nova modalidade de financiamento.

 

 

“Estamos falando daqueles municípios onde justamente a atividade econômica é menor, mais fraca. São municípios que dependem muito da atividade do pequeno negócio, do microempreendedor, da padaria, da farmácia, do cabelereiro. São justamente os municípios que têm mais dificuldade em ter acesso ao mercado financeiro tradicional”, destaca o presidente do BDMG, Marco Crocco. Para Crocco, o BDMG consegue oferecer taxas mais atrativas por ter características distintas de um banco comercial tradicional. “A função e a missão do banco é de oferecer crédito, e consequentemente, estimular a atividade econômica naquilo que o mercado privado não consegue atender”, frisa.

Ainda segundo presidente do BDMG, a instituição oferece crédito “com taxas de juros mais baratas que as taxas praticadas no mercado e algumas linhas específicas para alguns setores, o que dá um resultado direto para a população local”. O diferencial da linha são as taxas atrativas, a partir de 1,70% ao mês, inferiores à média do mercado – que pode chegar a mais de 4%. Os prazos são maiores para quitar o financiamento, podendo chegar a 51 meses.

 

 

 

As empresas interessadas devem encaminhar propostas pela internet (www.bdmg.mg.gov.br) ou pela rede de mais de 300 Correspondentes Bancários do BDMG espalhados pelo estado. O valor disponibilizado para financiamento pode chegar a R$ 700 mil. A partir da entrega da documentação ao BDMG, a liberação do crédito é realizada em dez dias, em média. Os recursos do Geraminas Social poderão ser utilizados para capital de giro, compra de matéria-prima, reformas e obras civis, entre outras finalidades.

 

 

 

Primeiros financiamentos

Na fase de testes, em que o Banco testou a aderência do produto ao mercado, 125 empresas de 10 territórios de desenvolvimento contraíram financiamentos: Alto Jequitinhonha (31), Norte (30), Médio e Baixo Jequitinhonha (29), Sul de Minas (12), Alto Caparaó (cinco), Região Metropolitana de Belo Horizonte (5), Vale do Mucuri (4), Zona da Mata (3), Rio Doce (3), Oeste (2) e Vale do Aço (1).

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.