Campanha Nacional de Vacinação contra sarampo inicia segunda etapa.

A partir desta segunda-feira (23/3), pessoas de 20 a 49 anos devem se imunizar contra a doença, independentemente de vacinações anteriores.
imagem de destaque
 

A atual situação do sarampo no país se tornou uma preocupação no âmbito da saúde pública. Entre fevereiro de 2018 e março de 2020, o Brasil registrou cerca de 30 mil casos confirmados e 30 mortes pela doença, que ainda ameaça a população brasileira com surtos que permanecem ativos em dez estados.

Em Minas Gerais, em 2019, foram confirmados 136 casos. Em busca de ações que visem proteger a população e controlar possíveis surtos, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), sob recomendação do Ministério da Saúde, promove, a partir desta segunda-feira (23/3), a 2ª etapa da Campanha de Vacinação contra o Sarampo. 

Nesta fase, o público prioritário é formado por jovens e adultos de 20 a 49 anos. A etapa vai até 30 de junho. "A vacinação contra o sarampo será realizada independentemente da situação vacinal das pessoas na faixa etária preconizada”, reforça a coordenadora estadual do Programa de Imunizações da SES-MG, Josianne Gusmão.

Em Minas Gerais, há cerca de 9 milhões de pessoas nesta faixa etária. Para a imunização deste grupo, serão oferecidas as vacinas tríplice viral e a dupla viral. “As vacinas serão distribuídas aos estados pelo Ministério da Saúde, de forma gradativa, durante o período de realização da campanha”, explica Josianne.

A realização da estratégia, assim como a adesão do público prioritário, é imprescindível para garantir a devida proteção da população contra o sarampo, além de contribuir para interromper a circulação do vírus no país.

Recomendações diante do Covid-19

O Ministério da Saúde recomenda que, neste momento da pandemia de coronavírus, os municípios adotem uma série de estratégias para evitar aglomerações durante a vacinação nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Cada município terá autonomia para definir quais estratégias irá adotar, de acordo com sua realidade e cenário epidemiológico. Entre as medidas que podem ser adotadas está, por exemplo, a organização das UBSs com horário de funcionamento estendido, garantindo a oferta de vacinação na hora do almoço, ou mesmo nos horários noturnos e finais de semana.

Unidades com mais de uma equipe podem se organizar em escalas de trabalho flexíveis, a fim de garantir o quantitativo de profissionais necessários para assegurar o acesso da população à vacina durante todo o horário de funcionamento do serviço.

Outra recomendação é a disponibilização de um local específico na unidade de saúde para vacinação do idoso, pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas, separados do local de vacinação direcionado aos demais grupos.

Sarampo

O sarampo é uma doença infecciosa grave, provocada por vírus, transmitida pela fala, tosse e espirro, e extremamente contagiosa, podendo ser contraída por pessoas de qualquer idade. É caracterizada por febre, inflamação das mucosas do trato respiratório, erupção maculopapular generalizada seguida por descamação. A única forma de prevenção é a vacina fornecida de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
 

Mais informações sobre a doença estão disponíveis em www.saude.mg.gov.br/sarampo.

 

Nota à imprensa - Vacinação

Divinópolis, 23 de março de 2020 – A Prefeitura de Divinópolis informa que a situação da falta de vacinação nas unidades de saúde CSU, Quintino, Itaí e São Paulo já está sendo resolvida com a contratação de mais enfermeiros e técnicos de enfermagem. A situação será normalizada até o fim dessa semana. A Prefeitura ressalta que não é necessário a corrida aos postos, para evitar aglomeração de pessoas.

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.