quinta-feira, 11 de Dezembro de 2014 11:49h

Campanhas de Vacinação contra Poliomielite e Sarampo terminam nesta sexta-feira

A expectativa em Minas Gerais é imunizar 1,1 milhão de crianças contra a Poliomielite e um milhão de crianças contra o Sarampo

Segue até nesta sexta-feira (12/12) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e da Campanha de Seguimento Contra o Sarampo.  A campanha que inicialmente terminaria no dia 28 de novembro foi prorrogada pelo Ministério da Saúde porque não foi alcançada a meta de vacinar 95% do público-alvo.

Até o momento, Minas Gerais imunizou 848.202 crianças, ou 82,06%, contra o Sarampo e 976.022 ou 83,87% de crianças contra a Pólio, mas a expectativa em Minas Gerais é imunizar 1,1 milhão de crianças de seis meses a menos de cinco anos contra a Poliomielite; e um milhão de crianças de um a menos de cinco anos contra o Sarampo, o que representa 95% de cobertura para ambas as doenças.

Em 2014, o Brasil celebra 25 anos de erradicação da Poliomielite, com o último caso da doença tendo sido registrado em março de 1989, no município de Souza, na Paraíba. Em Minas, o último registro foi em 1987 na cidade de Santa Maria de Itabira. Para manter a doença longe das crianças brasileiras é imprescindível manter altas as taxas de imunização infantil, já que a poliomielite ainda é registrada em países da África e Ásia. Somente neste ano, já foram registrados 247 casos da doença no mundo.

Não há contraindicação para a vacina contra a poliomielite. Mesmo as crianças que já se vacinaram em anos anteriores devem receber uma nova dose. Apenas não poderão ser vacinadas as crianças que estiverem com infecções agudas, com febre de 38ºc, ou que apresentaram alguma alergia ou reação a doses anteriores. Na campanha do ano passado, 96% das crianças até cinco anos de idade foram imunizadas em Minas Gerais. O mesmo percentual foi alcançado na vacinação nacional.

Campanha de Seguimento contra o Sarampo

A Campanha de Seguimento Contra o Sarampo tem o objetivo de corrigir falhas de imunização em crianças de um a menos de cinco anos que não estejam com o esquema vacinal em dia. Porém, mesmo que a criança já tenha se vacinado, deve receber a dose de reforço. De 2010 a 2012, todos os casos de sarampo registrado no Brasil eram importados ou relacionados à importação. No entanto, em 2013 e 2014, foram registrados 596 casos da doença no país, com maior concentração nos estados de Pernambuco (224 casos) e Ceará (365 casos). Em ambos os estados, as crianças menores de cinco anos foram as mais acometidas.  Em 2013 foram confirmados dois casos de sarampo em Minas. Em 2014, até o momento, não foi confirmado nenhum caso no estado.

Na última campanha de seguimento contra o sarampo, em 2011, foram vacinadas 1,5 milhão de crianças de um a seis anos em Minas Gerais, uma cobertura de 98,24% do público esperado. Em todo o Brasil foram 16,8 milhões de crianças imunizados, representando 98,36% de cobertura.

Não poderão ser vacinadas contra o sarampo as crianças que estiverem com doenças febris moderadas ou graves. Neste caso, a vacinação dever ser adiada até que a criança melhore. Para as que estiverem em uso de imunoglobulina, sangue e derivados a vacinação deverá ser adiada por três a 11 meses, dependendo do hemoderivado e da dose administrada, para evitar prejuízos na resposta imunológica pós-vacinação. A vacina também é contraindicada para crianças que apresentaram reações alérgicas em doses anteriores e com imunodeficiência congênita adquirida.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.