terça-feira, 22 de Abril de 2014 07:39h

Cartão Aliança pela Vida viabiliza tratamento de dependentes químicos no Triângulo Mineiro

A ferramenta do Governo de Minas, coordenada pela SES-MG, é desenvolvida a partir da adesão de prefeituras e credenciamento de comunidades terapêuticas.

Proporcionar tratamento a dependentes de álcool, crack e outras drogas. Esta é a principal função do Cartão Aliança pela Vida, iniciativa do Governo de Minas e que, desde 2013, já realizou 240 atendimentos no Triângulo Mineiro. Na região, 23 municípios aderiram à ação, desenvolvida em parceria com sete comunidades terapêuticas localizadas em Uberaba e Uberlândia.

Por meio do Cartão Aliança, que disponibiliza auxílio financeiro em caráter temporário para despesas de tratamento dos usuários de drogas, as clínicas têm recursos para melhor atenderem aos dependentes. Hoje, o valor do cartão é de R$ 45,00 por dia de internação, totalizando R$ 1.350,00 por mês. De acordo com Mirian Bertulucci, presidente de uma das comunidades terapêuticas credenciadas em Uberaba, o Centro Herd, dentro do tratamento os residentes fazem diversos cursos e atividades extras que ajudam no tratamento.

“Eles são orientados desde o início do tratamento a voltar a estudar e a procurar um novo trabalho. Nossa metodologia se baseia na espiritualidade e na filosofia que determina 12 passos para a recuperação, utilizada para praticamente todos os tipos de dependência química ou compulsões. Temos como referência o modelo psicológico de orientação cognitiva comportamental, que significa mudança no estilo de vida, fazendo com que o residente volte a suas origens antes da droga”, relata.

Mirian Bertulucci destaca, ainda, que a comunidade terapêutica, que possui uma clínica na cidade e uma fazenda onde o tratamento é efetuado, atua na prevenção de recaídas com psicodinâmica e atividades interativas em grupo. “Durante o tratamento não é utilizado qualquer tipo de remédio, com exceção somente para os residentes que usam medicamento por prescrição médica. Para resolver o problema da abstinência, usamos a prática de esporte e laborterapia (trabalho braçal como forma de terapia), durante uma hora e meia por dia. A cada dez dias, os residentes fazem um rodízio das atividades em diversos setores da fazenda. Caso o residente ainda esteja inseguro, ele participará de reuniões para ir se firmando em território social e, assim, finalizar o tratamento”, explica.

Antônio da Silva Batista, 29 anos, está entre os beneficiados pelo Cartão Aliança pela Vida e conta que, desde que iniciou o tratamento, vem evoluindo e se conhecendo cada dia mais. “Minha família me deu mais credibilidade. Além de tudo, tenho conquistado o que perdi quando usava droga. Gosto bastante do tratamento e os profissionais nos ajudam muito em nossas dificuldades. Depois que eu sair daqui, só irá depender de mim. Sou da roça e gosto muito de lidar com a terra. O cultivo dos jardins e das hortas é uma terapia para mim. Penso até em mudar de profissão, aqui eu aprendi a cozinhar e estou pensando em seguir carreira de cozinheiro”, comenta.

Como funciona

O Cartão Aliança pela Vida é uma ferramenta do programa Aliança pela Vida, criado em 2011 pelo Governo de Minas e coordenado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). A ação é desenvolvida a partir da adesão das prefeituras e credenciamento de comunidades terapêuticas. O serviço de saúde é a porta de entrada para que o usuário solicite tratamento. Ele passa por uma avaliação e, caso seja confirmada a necessidade de apoio terapêutico, recebe o encaminhamento e o benefício financeiro do Cartão Aliança, que vai diretamente para a comunidade em que for realizado o tratamento. Na Comunidade Terapêutica, o residente recebe apoio médico, psicológico, educacional e comportamental.

Desde a sua criação, o Cartão Aliança já beneficiou 1.937 usuários e credenciou 42 casas terapêuticas. Hoje está presente em 357 municípios do Estado. No Triângulo, participam do Cartão Aliança pela Vida, além das cidades de Uberaba e Uberlândia, Araxá, Conceição da Aparecida, Conquista, Delta, Ibiá, Itapagipe, Pedrinópolis, Perdizes, Pirajuba, Planura, Pratinha, Sacramento, Veríssimo, Araguari, Coromandel, Indianópolis, Iraí de Minas, Monte Alegre de Minas, Monte Carmelo, Patrocínio e Tupaciguara.

Território Aliança pela Vida

O programa Aliança pela Vida possui como ferramenta, além do Cartão, o Território Aliança pela Vida. A iniciativa consiste em uma equipe interdisciplinar, composta por assistente social, psicólogo, enfermeiro, agentes sociais e motorista que, articulados com a rede de saúde e sócio assistencial de cada município, realiza abordagem de rua ao usuário. Segundo a coordenadora Estadual de Saúde Mental, Tanit Sarsur, responsável pelo programa, o Território Aliança facilita a aproximação com o usuário de drogas. “A abordagem de rua atende ao usuário em grande vulnerabilidade social, na cena de uso”, afirma. Desde 2012, quando a ação teve início, já foram realizados 11.429 atendimentos, com investimentos de R$ 3,4 milhões.

Hoje, o Território atua em 16 municípios no Estado, por meio de 18 entidades terapêuticas conveniadas. No Triângulo Mineiro, Uberaba oferece o atendimento. O coordenador do Território na cidade, Leonardo Junior da Silva, da Comunidade Terapêutica Nova Jerusalém, conta que a abordagem é feita de segunda a sexta-feira, o dia todo. “A rota é definida semanalmente em nossa agenda. Tentamos solucionar todas as necessidades humanas básicas das pessoas, desde alimentação e saúde, se estendendo a documentação e emprego. Uma vez por mês, aos finais de semana, a prefeitura realiza um evento através do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) e o Território Aliança também atua ajudando e direcionando as pessoas para essa ação”.  A Comunidade Nova Jerusalém também é credenciada no Cartão Aliança.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.