segunda-feira, 15 de Dezembro de 2014 07:12h

Centenário do professor Gerson Boson é comemorado na ALMG

Cerimônia no Plenário homenageou, nesta sexta (12), acadêmico que exerceu cargos públicos de relevância no Estado

Em Reunião Especial de Plenário, realizada na noite desta sexta-feira (12/12/14), a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) homenageou o centenário de nascimento do professor Gerson de Britto Mello Boson. O catedrático de Direito Internacional Público da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) foi um dos pioneiros, no Brasil, dos estudos e das pesquisas de Constitucionalização do Direito Internacional e Internacionalização do Direito Constitucional.

A solenidade ocorreu a pedido do deputado Sávio Souza Cruz (PMDB). O parlamentar, que representou o presidente da Assembleia, deputado Dinis Pinheiro (PP), na cerimônia, disse que o primeiro traço no perfil do homenageado é o amor ao trabalho. “Tudo o que realizou esteve revestido de três características: a diversidade de interesses, a visão pioneira e o apreço à liberdade”, afirmou. Sávio Souza Cruz disse, ainda, que Gerson Boson “refletiu sobre dilemas da sociedade em seu tempo” e que ele foi “incansável promotor da cultura e da arte em nosso Estado”.

Homem múltiplo – Durante a cerimônia, a viúva do professor, Maria Otília Lopes Boson, e a filha Patrícia Boson receberam uma placa alusiva à homenagem. De acordo com Patrícia, seu pai era um "homem múltiplo”, ao ser filósofo, escritor, professor, advogado, entre outros. “Gerson era também um amante da natureza. Era um homem moderno e um humanista, que defendia com vigor a liberdade”, destacou. Segundo Patrícia, de todos os títulos recebidos, “Gerson gostava, mesmo, era o de professor, tarefa que exerceu com maestria até os seus últimos dias”.

Na solenidade, houve uma apresentação do grupo Mensageiros do Rei, que declamou as poesias O homem e Amor e vida, ambas de autoria do professor Gerson Boson. Também esteve presente na mesa da cerimônia o desembargador Luis Carlos Gambogi, ex-deputado estadual.

Docente foi membro da Academia Mineira de Letras

Gerson Boson nasceu no município de Piracuruca (Piauí), em 27 de novembro de 1914, e faleceu em 2001. Formou-se em Direito em 1944. Lecionou nas faculdades de Filosofia e de Ciências Econômicas da universidade mineira. Em 1952, defendeu tese para a cátedra de Direito Internacional Público, da então Faculdade de Direito da Universidade de Minas Gerais (UMG), futura UFMG, passando a integrar seu quadro de docentes.

O homenageado também foi professor titular de Filosofia do Direito e de Direito Internacional Público na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Entre outras atividades acadêmicas, foi membro da Academia Mineira de Letras, da Sociedade Brasileira de Direito Internacional, do Instituto Hispano-Luso-Americano de Direito Internacional, da International Law Association, da Asociación Argentina de Derecho Internacional e do Instituto Histórico de Minas Gerais.

O acadêmico exerceu cargos públicos de relevância como juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, advogado geral do Estado, secretário de Estado da Educação, reitor da UFMG, secretário de Estado da Casa Civil do Governo de Minas, dentre outros. Gerson Boson contribuiu ainda para a consolidação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Minas, atuando como conselheiro federal da entidade e sendo o idealizador, fundador e primeiro diretor da Escola Superior de Advocacia da OAB/MG.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.