quarta-feira, 3 de Junho de 2015 14:24h

Centenas de técnicos da Emater-MG iniciam curso de pós-graduação em Extensão Ambiental

Aulas inaugurais serão no dia 8 de junho, em Lavras e Viçosa

Preparar a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater–MG) para um futuro sustentável. Esse é o principal objetivo do programa de pós-graduação em “Extensão Ambiental para o Desenvolvimento Sustentável”, que capacitará 400 técnicos da empresa de todo o Estado. Na próxima segunda-feira, 8 de junho, serão realizadas as aulas inaugurais do curso nos municípios de Lavras (sul de Minas) e Viçosa (Zona da Mata), às 12h30. A qualificação é promovida em conjunto com a Universidade Federal de Lavras (Ufla) e viabilizado por meio de convênio com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). É a primeira vez que a empresa oferece este tipo de capacitação, simultaneamente, para centenas de profissionais. A aula inaugural em Lavras irá contar com as presenças do presidente da Emater-MG, Amarildo Kalil, e do reitor da Ufla, José Roberto Soares Scolforo.

O curso é exclusivo para os técnicos da Emater–MG e foi totalmente estruturado para atender os extensionistas agropecuários e de bem-estar social. O encerramento está previsto para final 2016. O curso irá qualificar os profissionais para exercer suas atividades voltadas para uma produção com bases sustentáveis. No módulo básico do curso, serão tratados assuntos como agronegócio e extensão rural, a saúde do agricultor e da população exposta ao uso de agrotóxico, legislação aplicada à comercialização, e outros. Os profissionais também puderam optar entre cinco módulos específicos, cursados dentro da pós-graduação: Bovinocultura; Agroecologia; Boas Práticas de Fabricação na Agroindústria de Alimentos; Educação Ambiental; e Produção Vegetal com Sustentabilidade

A carga horária da pós-graduação é de 360 horas, com 120 horas de aulas presenciais e outras 240 horas à distância, via plataforma on-line. Além de Lavras e Viçosa, as disciplinas presenciais também ocorrem em outros três polos regionais: Montes Claros (Norte de Minas), Teófilo Otoni (Vale do Mucuri) e Uberaba (Triângulo Mineiro). Com as aulas à distância, diminui o tempo de locomoção e os técnicos podem enquadrar o curso dentro da rotina de cada um, apenas cumprindo os prazos para completar as disciplinas e realizar as avaliações.

“Estamos preparando a Emater-MG para o futuro, mudando para o paradigma da sustentabilidade. Continuamos incentivando a produção e a produtividade para garantir a segurança alimentar. Mas também existe a demanda da agricultura para prestação de serviços ambientais, como a conservação da biodiversidade e dos recursos hídricos. O nosso grande desafio agora é inserir a dimensão ambiental na atividade rural. A transição do foco no produto para a sustentabilidade é o mais importante. Não podemos apenas focar a lógica da nossa ação no produto, mas, sim, no produtor, na família, na propriedade. É preciso preparar os extensionistas para atender essa demanda”, destaca o presidente da Emater–MG, Amarildo Brumano Kalil.

Estrutura e reconhecimento UFLA

Os profissionais da Emater–MG contam com toda estrutura do Centro de Educação a Distância (CEAD) da Universidade Federal de Lavras (UFLA). “São mais de 30 anos de experiências em ensino à distância e toda infraestrutura necessária para oferecer o melhor. Somos uma instituição reconhecida e que investiu muito na parte tecnológica para oferecer uma plataforma de qualidade, com vídeo-aulas, fóruns de discussão e material didático específico. Com certeza vamos preparar os profissionais da Emater–MG para novas técnicas que façam grande diferença no campo, principalmente quando colocadas em prática e chegarem ao alcance do produtor rural”, ressalta o pró-reitor adjunto de Pós-Graduação Lato Sensu da UFLA, Daniel Carvalho de Rezende.

“A qualificação dos profissionais é uma política constante da Empresa, que se preocupa em manter um quadro de funcionários com conhecimentos e habilidades para execução e implementação das atividades desenvolvidas junto ao produtor rural. O foco é preparar o profissional para que possa desenvolver suas atividades de orientação e recomendação técnica junto aos agricultores, levando em consideração a condução dos processos produtivos de forma a minimizar os impactos ambientais negativos gerados aos ecossistemas. Abordaremos grandes áreas e temas, mas com uma visão ambiental e sustentável”, explica o coordenador técnico da Emater–MG, Leonardo Fernandes Moreira.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.